Iklan

iklan

Queiroga minimiza críticas à suspensão da vacinação de adolescentes

17 de setembro de 2021 | 17.9.21 WIB Last Updated 2021-09-17T13:31:51Z

Mas admite que governadores devem assumir os riscos



O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, rebateu as críticas pela suspensão da vacinação de adolescentes sem comorbidades no Brasil, recomendada pela pasta na quinta-feira (16). Em declaração ao portal Metrópoles, o ministro avaliou que “estão fazendo tempestade em copo d’água”.

Queiroga justificou que a decisão é apenas “cautelar” para averiguação de um evento adverso causado pela vacina, algo que o ministério fez há alguns meses com grávidas. “Se ficar comprovado que não tem problema, a gente volta”, disse.

O chefe da Saúde argumenta que a suspensão é importante para dar segurança à população e diminuir críticas do movimento antivacina. “Esses efeitos adversos é que levam aos movimentos antivacina”, afirmou, destacando que o fato de ter tido um óbito “não invalida a vacina”.

Ele afirmou ainda que os estados que não seguirem a recomendação do ministério terão de se responsabilizar por eventuais problemas. “Que mantenham e se responsabilizem por isso. Não vou me responsabilizar. Eles que vão se responsabilizar”, disse o ministro.

Vice

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão (PRTB), afirmou que os estados que continuarem a vacinação na faixa etária entre 12 e 17 anos, mesmo com as orientações do Ministério da Saúde, devem assumir os riscos. 

"Tem estado que está parando (a vacinação), outros continuando. Cada um arca com as consequências se, a posteriori, acontecer algum fato negativo. Acho que é melhor esclarecer a situação. Deixar a ciência definir o assunto", disse. 

Comente
Deixe o seu comentário
  • Queiroga minimiza críticas à suspensão da vacinação de adolescentes

Tendências