Política não é para amadores

 


Estátua do Chico

Como não ocorreu alagação no rio Acre até então, a estátua do líder ambientalista Chico Mendes, que foi derrubada por vândalos na Praça Povos da Floresta, está tomando  conta do debate político. Até o ex-presidente Lula já se pronunciou.

* A política não é para amadores.


Falta um empurrãozinho


Durante evento de lançamento de sua pré-candidatura à Câmara  dos Deputados, em São Paulo, a ex-ministra Marina Silva desconversou sobre a esperada reaproximação com o ex-presidente Lula. Ela não respondeu se pretende se encontrar com o ex-presidente num futuro próximo e afirmou que não levou o rompimento para o "terreno pessoal".


* Marina o chamou protocolarmente de "ex-presidente" e se mostrou aberta em se reaproximar do ex-aliado “em questões programáticas”.


CPI do MEC I


Após reunir o apoio necessário para a abertura da CPI do MEC, a oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro tem o desafio de conseguir maioria no colegiado que deve investigar suspeitas de corrupção na gestão do ex-ministro Milton Ribeiro.


* Em um roteiro diverso do traçado na CPI da Covid, no ano passado, quando tinha sete dos 11 integrantes ao seu lado, a composição, desta vez, não deve ser tão favorável aos opositores.


CPI do MEC II


Com a ameaça de governistas de irem ao Supremo Tribunal Federal para barrar a CPI do MEC, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, tenta traçar uma estratégia para evitar que a batalha política seja novamente resolvido no campo jurídico.


* Há cerca de um ano, coube à Corte ordenar a abertura da CPI da Covid após resistência do chefe do Legislativo em instalá-la.


Contra ofensiva 


Uma das alternativas para evitar a batalha jurídica acerca da CPI do MEC é a instalação de uma comissão para investigar as obras inacabadas da era PT no governo. 


* Aguardemos os próximos capítulos.


Decisão


O presidente Rodrigo Pacheco afirmou que deve decidir sobre a CPI do MEC no início desta semana. Pressionado pela oposição e por governistas, o senador afirmou que discutirá com os líderes do Senado sobre a abertura dessa comissão parlamentar de inquérito e de outras três que aguardam na fila.


Queda de braço


Há uma nova queda de braço na praça. Enquanto os holofotes se voltam para as eleições de outubro e as crises do governo de Jair Bolsonaro, envolvido em intermináveis brigas com o Supremo Tribunal Federal, o Centrão atua no Congresso para manter o poder.


* No pacote idealizado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, o grupo continuará dando as cartas da República, seja qual for o resultado das urnas.


Frase


“Estados Unidos podem se tornar um país isolado no mundo se a esquerda vencer as eleições presidenciais em outubro” – do presidente Bolsonaro em entrevista à TV americana.


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem