MDB rifa candidatura de Simone Tebet

Por Mariano Maciel 

Queda de braço

Em uma prévia das divisões internas no caminho da convenção nacional do MDB, prevista para julho, lideranças favoráveis e contrárias à homologação da senadora Simone Tebet (MS) como pré-candidata à Presidência medem forças após um jantar de emedebistas com o ex-presidente Lula (PT).

* Alguns caciques regionais que conversaram com o petista, como o senador Renan Calheiros (AL) e o ex-presidente do Senado Eunício Oliveira (CE), sinalizaram que podem tentar derrubar a candidatura de Tebet na convenção partidária.

* Enquanto isso, o senador Marcelo Castro (PI), que defende a parlamentar, diz que acredita que a grande maioria no partido vai apoiá-la e ressalta que o "MDB nunca funciona na base do 100%".

* O União Brasil ficou descrente da candidatura de Simone Tebet  após o jantar organizado por Renan Calheiros (MDB) para Lula. A cúpula da sigla acredita que a senadora padece do mesmo problema de João Doria (PSDB): não consegue unificar nem o próprio partido em torno de seu nome.

Benesse nas alturas

Diante da reclamação dos deputados sobre o aumento do preço das passagens aéreas, Latam, Gol, Azul e Map fecharam acordo com a Câmara para dar descontos para os parlamentares, oferecer um upgrade nos planos de milhagem e conceder gratuidade na taxa de remarcação das viagens.

CPI do MEC

A pressão do governo para evitar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) no Senado que apure suspeitas de corrupção no Ministério da Educação ganhou o reforço de integrantes da bancada evangélica, aliada da gestão de Jair Bolsonaro.

* Parlamentares que assinaram a lista foram procurados nos últimos dias por integrantes do grupo com o recado de que o apoio à criação do colegiado para investigar a atuação de pastores lobistas na pasta poderia lhes custar votos no segmento religioso.

Orçamento secreto

O senador Márcio Bittar (União Brasil-AC), relator do Orçamento de 2021, foi responsável por indicar R$ 203,7 milhões a prefeituras de seu interesse. O montante veio de um repasse de R$ 588 milhões do orçamento secreto administrado pelo Ministério da Defesa, durante a gestão de Braga Netto.

* Bittar está entre os 11 senadores mais beneficiados pelo dispositivo de emendas parlamentares, utilizado para contemplar aliados do governo em troca de apoio no Congresso.

Recuo de Moro

O recuo do ex-juiz Sergio Moro em sua pré-candidatura à Presidência deixou um espólio eleitoral, especialmente na população de maior renda, cujos votos, embora cobiçados pela terceira via reforça a polarização entre o presidente  Bolsonaro e o ex-presidente Lula.

Frase

"É muito mais fácil encontrar um culpado do que uma solução." - do ex-presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna deixando claro não aceitar o rótulo imposto pelo presidente Jair Bolsonaro de responsável pela disparada no preço dos combustíveis no Brasil..


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem