A redução no preço do combustível não fez efeito nas mercadorias

Os preços desses produtos continuam exorbitante 

Cruzeiro do Sul - Acre

 


Por Gontran Neto/Urtiga do Juruá


Cruzeiro do Sul – Acre, um dos municípios do país em que o preço do combustível é terrivelmente elevado, consequentemente o custo de vida castiga a população sem dó, fazendo com que os serviços e produtos essenciais sumirem da vida dos mais humildes, apesar do município ser uma área de livre comércio através da Lei nº 8.857/1994as vantagens para os consumidores cruzeirenses são nenhuma.

Através da Lei complementar nº 194/2022 (Projeto de Lei Complementar nº 18/2022), de redução do ICMS dos combustíveis. A gasolina que estava sendo vendida em Cruzeiro do Sul a R$ 8,16 (UM ABUSO), atingiu o valor de R$ 6,95 (CONTINUA UM ABUSURDO) e o óleo diesel presenteado por este governo com o valor maior do que a gasolina, jamais atingindo este patamar, mesmo baixando os preços, (gasolina atingiu 79% de acréscimo nas bombas no governo Bolsonaro) a eficácia não acertou  às prateleiras dos supermercados.

Como os combustíveis ditam as regras do jogo em todos os sentidos. Cada vez dos aumentos sucessivos, os produtos e serviços acompanham os acréscimos com a mesma fugacidade, visto que taxistas, moto taxistas, energia, produtos (todos)  rapidamente são corrigidos, no entanto com a redução, a população de Cruzeiro do Sul não constatou ainda a queda na cesta básica, no transporte, na conta de energia, ou seja, quando uma ação, mesmo com interesse eleitoreiro, criada por desespero, com data marcada para morrer, as dificuldades e desculpas se sobrepõem para uma queda dos valores das mercadorias e serviços. 


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem