Iklan

iklan

Apartados de mim (aos meus filhos ausentes)

28 de setembro de 2021 | 28.9.21 WIB Last Updated 2021-09-28T12:39:18Z

 


Texto de Franciney Rocha

Com o coração de mãe que não descansa, mesmo no calor das festas por mais um aniversário, quando todos se curvam a minha história de 117 anos, não posso esquecer meus filhos que estão dispersos pelo mundo afora. Sei que o imperioso do destino, na luta por vencer na vida, de buscar novos rumos, apartou-os fisicamente de mim, apartou-nos de um abraço, de um banho de igarapé, uma visita ao mercado, à Catedral...

Sei que as dificuldades aqui vivenciadas os fez melhores profissionais, exemplos de caráter, carimbo de resiliência que só os filhos de Cruzeiro do Sul trazem tatuados na memória. De quando vocês partiram muita coisa mudou, novos hábitos, tecnologias, mais isso, mais aquilo...

Por aqui, na ausência de vocês, muitos chegaram e os amei como filhos, mas um coração de mãe, que abraça a todos, não esquece nenhum dos que se foram, e nas horas de celebração, almoço à mesa, o parabéns, os desfiles, os festivais... aí é que a saudade aperta... Essa saudade, bem sei, é mútua, implacável, silenciosa e de esperançar. De vê-los voltarem ao seio materno, à casa iluminada como em dias de festa, a melhor música, a mesa posta, a conversa animada. Eu estarei por aqui sempre à espera, de braços abertos, com uma saudade que não cabe no peito e que se renova a cada aniversário...

Dedicado aos filhos de Cruzeiro do Sul dispersos pelo mundo afora, aos que venceram na vida (e aos que ainda buscam), que não esquecem as raízes.

Comente
Deixe o seu comentário
  • Apartados de mim (aos meus filhos ausentes)

Tendências