Debandada no PSB de Brasília, depois da guinada do partido à esquerda



Senadora Leila Barros, a Leila do Vôlei, se prepara para deixar o PSB e deve se filiar no Cidadania. Aliás, o partido deve perder todos os parlamentares eleitos em 2018. O motivo, é a guinada do partido á esquerda, com uma aproximação ao  ex-presidente Lula, especialmente com o ingresso o deputado Marcelo Freixo (RJ) e o do governador do Maranhão, Flávio Dino, no PSB. Outros Lulistas devem seguir o mesmo destino


Recesso


A partir de 17 de julho, o recesso no Congresso Nacional pode ser oficial ou branco. Será oficial se for votada a LDO nesta semana.


* Se isso não ocorrer, o Congresso continua aberto.


CPI da Covid


Nesta semana, o líder do Governo na Câmara, Ricardo Barros, deve depor à CPI. A data não foi marcada. O deputado diz ter pressa para pressa para esclarecer que não está envolvido em irregularidades na negociação da vacina Covaxin pelo Ministério da Saúde.


Resolveu falar


Militares são, tradicionalmente, avessos a entrevistas. O recente embate entre as Forças Armadas e o presidente da CPI da Covid, Omar Aziz, porém, fez com que o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Carlos de Almeida Baptista Junior, decidisse falar. Em entrevista exclusiva ao GLOBO, o brigadeiro Baptista diz que os militares estão incomodados com o que descreve como uma tentativa de associação, por parte da CPI, entre a corporação e as suspeitas de corrupção apuradas pelos senadores.


* Critica o tratamento dispensado a colegas que estão na mira das investigações, como o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e o ex-secretário-executivo da pasta Elcio Franco.


Reforma Administrativa I


Na comissão especial da Câmara, que analisa a proposta de reforma administrativa, o deputado Leo de Brito (PT-AC)  indagou o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre os privilégios e os supersalários, e questionou a proposta de reforma administrativa do governo Bolsonaro.


Parceria


A senadora Mailza Gomes tem se destacado pelo apoio do seu mandato ao governo de Gladson Cameli. Seja na liberação de recursos para a execução de projetos, seja na solução de políticas públicas de interesse do estado.


Voos da FAB I


Ministério da Defesa se negou a informar à Câmara dados sobre voos de servidores públicos pela FAB no governo Jair Bolsonaro. Em resposta ao requerimento do deputado Gustavo Fruet (PDT-PR), a pasta disse que, segundo um decreto, a responsabilidade pela lista de passageiros em voos da FAB é das autoridades que pedem os deslocamentos.


Voos da FAB II


Em ofício assinado pelo ministro Braga Netto, a Defesa disse que não tem as relações de passageiros. Para Fruet, além de um "desprezo" a pedidos de informação do Parlamento, a resposta fere uma série de normas da legislação brasileira, a começar pela Constituição.


Frase da semana


“Sabe qual a minha resposta? Caguei, caguei para a CPI. Não vou responder nada” – do presidente Bolsonaro, ao comentar sobre os trabalhos da CPI. 


Postagem Anterior Próxima Postagem