Perpétua apresenta projeto que acaba com rol taxativo da ANS


 

Após a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), a deputada federal Perpétua Almeida (PCdoB) apresentou o PL 1560/22, que torna exemplificativo o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde Suplementar.

Na prática, o STJ decidiu que os convênios não são obrigados a cobrir tratamentos fora do rol da ANS. A decisão afeta diretamente autistas, pessoas com deficiências graves, doenças raras, dentre outras.

Segundo Perpétua, o objetivo do seu projeto é garantir tratamento a todas as pessoas que pagam plano de saúde e tenha atestado e receituário médico, independente da lista de procedimentos da ANS.

“O rol taxativo é criminoso, mata pessoas! Empurrará muitos autistas e tantas outros que tem plano de saúde para intermináveis filas de espera. A decisão do STJ é muito grave e emite sinais para uma nova jurisprudência, que pode passar a ser seguida por tribunais estaduais”, disse.

E destaca: “Há anos a Justiça tinha um entendimento de que os planos de saúde eram obrigados a cumprir procedimentos e terapias que não estavam no rol da ANS, desde que receitadas pelo médico. Ou seja, os planos eram obrigados a cobrir todos os tratamentos, acompanhamentos e exames que o médico atestasse como necessários para garantir a saúde do paciente. O caso do acompanhamento de alguns procedimentos dos autistas, por exemplo, não estão no rol da ANS. Muitos tratamentos para câncer, próteses, entre outros, também não”.

Assessoria


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem