Bolsonaro quer preços congelados dos combustíveis e gás de cozinha até a eleição

 


Em reuniões internas do governo, o presidente Jair Bolsonaro tem falado a auxiliares que novas altas dos combustíveis o farão "perder a reeleição". As informações são do blog da Ana Flor, do G1.

Bolsonaro falou a novos interlocutores que não quer novos reajustes no diesel, gasolina e gás de cozinha até a eleição em outubro.

O governo anunciou nesta segunda-feira (23) a troca na presidência da Petrobras, indicando o atual secretário do Ministério da Economia Caio Paes de Andrade para comandar a petroleira. O atual presidente, José Mauro Coelho, ficou 40 dias no posto.

É a terceira troca do governo Bolsonaro na presidência da Petrobras. Elas seguem uma lógica de, quando há um aumento nos combustíveis, o comando da estatal é mudado. Foi assim com Silva Luna, Bento Albuquerque e agora Mauro Coelho.

Segundo o blog, Bolsonaro está preocupado com o impacto do preço do diesel entre caminhoneiros, categoria que o apoia desde 2018 e que está insatisfeito.

 

 


Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem