Petistas agora defendem Alckmin - Por Mariano Maciel


Outros tempos

Aliados do PT e do ex-presidente Lula saíram em defesa do ex-governador paulista Geraldo Alckmin após seu nome aparecer em delação premiada de um executivo da Ecovias, empresa que possui concessão de rodovias em São Paulo.

* Como mostrou a Folha, Marcelino Rafart de Seras, ex-presidente da Ecovias, disse em acordo de colaboração que a empresa repassou R$ 3 milhões como caixa 2 para Alckmin. Os pagamentos, disse ele, foram efetuados em 2010 (R$ 1 milhão) e em 2014 (R$ 2 milhões), em valores da época.

Chapa única

O presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, afirmou na segunda-feira que a sigla que ele preside, além de Cidadania, União Brasil e MDB, formarão uma aliança nacional nas eleições deste ano e definirão conjuntamente uma chapa presidencial com um único nome até o dia 1º de junho.

Tempos difíceis

As coisas não estão fáceis; aliás, andam muito complicadas. É por isso que o ex-presidente, Michel Temer, tem sido procurado por todos os presidenciáveis, exceto o petista Lula.

* Temer defende que só há uma solução para quem se eleger em outubro: propor um pacto nacional consistente para reconstruir as condições políticas e o país.

Cargo no PSB

Após se filiar formalmente ao PSB nesta quarta-feira 23, o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deverá ser contemplado com um cargo na direção do partido, como um gesto para reforçar seu prestígio na nova casa.

* A vaga exata ainda não foi definida, mas poderá ser uma vice-presidência da legenda. Na prática, a decisão atende mais a uma questão simbólica, já que não se espera que Alckmin exerça alguma função executiva na administração da máquina partidária.

Cotado para Petrobras

O nome que subiu na bolsa de apostas para a Presidência da Petrobras é o do titular da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, subordinada ao Ministério da Economia, Caio Mario Paes de Andrade.

* A escolha de um substituto para o general Joaquim Silva e Luna atenderia a uma multiplicidade de propósitos.

Preferido

Bolsonaro escancarou sua preferência por ter Braga Netto como seu vice na campanha deste ano ("...posso adiantar que hoje em dia o vice é de Minas Gerais").Mas, de acordo com ministros que conversaram privadamente com Bolsonaro, ele não pretende voltar a falar no assunto pelo menos até domingo, quando sua candidatura será lançada oficialmente num grande evento do PL em Brasília.

* Talvez até porque nem precise mais. O recado foi dado. Em relação a Braga Netto a única dúvida ainda é o nome do seu sucessor no Ministério da Defesa.

Futuro político

Com o desembarque do Podemos, o Movimento Brasil Livre (MBL) negocia a filiação de seus membros com dois partidos: o Patriota e o União Brasil. O grupo permaneceu cerca de um mês no Podemos e migará em conjunto para a mesma legenda.

* O movimento tem 10 candidatos, sendo seis que disputam vagas nos Estados e quatro na Câmara dos Deputados. A meta é definir a nova legenda até a próxima semana.

Frase

“Bolsonaro não pediu atendimento preferencial” – do ministro da Educação, Milton Ribeiro ao ser questionado se o presidente Jair Bolsonaro favoreceu parlamentares evangélicos com a distribuição de emendas.

 

 

 

 

  

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem