Campanha presidencial: Bateu, levou! – Por Mariano Maciel

 


Bateu...

O ex-presidente Lula (PT) chamou durante entrevista para sites independentes, Sergio Moro (Podemos) de “canalha”.

O ex-juiz e ex-ministro Moro rebateu a ofensa de Lula e escreveu em sua página oficial do Twitter que o ex-presidente “financiou ditaduras”.

... levou

“Eu, graças a Deus, consegui desmontar o canalha que foi o Moro no julgamento dos meus processos, o [Deltan] Dallagnol, a mentira, o fake news”, afirmou Lula na entrevista.

* Logo depois, Moro respondeu no Twitter: “Canalha é quem roubou o povo brasileiro durante anos e quem usou nosso dinheiro pra financiar ditaduras. E quadrilha é o nome do grupo que fez isso, colocado por você, Lula, na Petrobras. Você será derrotado. Só ofende pois não tem como explicar a corrupção no seu Governo.”

Cobrança

O inferno astral do prefeito Bocalon continua. Representantes do Fórum Sindical, Popular e da Juventude, entregaram abaixo assinado de várias entidades ao Ministério Público do Acre, cobrando da Prefeitura de Rio Branco e das empresas de transporte coletivo, o cumprimento dos contratos referentes aos serviços na cidade.

Preocupação

Por outro lado, Tião Bocalom vai se reúne na sala de reuniões da prefeitura com todos os secretários municipais para tratar da volta às negociações com todos os sindicatos.

Sistema remoto (de novo)

Presidente Arthur Lira, da Câmara, disse por meio das redes sociais que a volta dos trabalhos da Casa ao sistema remoto até o Carnaval, na primeira semana de março, será uma "medida necessária até que seja vencida esta nova onda da pandemia de Covid-19".

 

Buscando aliança

Rede Sustentabilidade deve seguir dividida em relação á eleição deste ano. Sob resistências de Marina, uma ala defende apoio ao ex-presidente Lula ainda no primeiro turno e jê teria procurado o PT para abrir diálogo.

* A ala lulista teria o apoio do senador Randolfe Rodrigues.

Criança e adolescente

Anvisa aprova uso da CoronaVac para crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. A aprovação atende em parte o pedido do Instituto Butantan, que pedia autorização do órgão regulador para aplicação do imunizante em crianças a partir de 3 anos.

Frase

"O acesso às vacinas e à proteção que elas podem conferir é questão de segurança nacional, beneficiando diretamente as crianças e os adolescentes, mas também os profissionais de saúde e da educação, a comunidade e a saúde geral de nosso país", - Meiruze Freitas, diretora relatora do Butantan.

 

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem