Iklan

iklan

Roraima e a emancipação

13 de agosto de 2021 | 13.8.21 WIB Last Updated 2021-08-13T21:47:22Z

 


Por Márcio Accioly

O senador Mecias de Jesus (Republicanos/RR), deixará seu nome inscrito na história roraimense, com a construção do Linhão de Tucuruí. Na última quarta-feira (11), lideranças indígenas da etnia Waimiri-Atroari decidiram, finalmente, autorizar a passagem do linhão por suas terras, selando o fim do isolamento energético do estado.

O tema vem rolando desde 2019, quando Mecias tomou posse em Brasília e imediatamente apresentou o PDL-25 (Projeto de Decreto Legislativo), excluindo da terra indígena o leito da BR-174, rodovia que liga o estado do Amazonas a Roraima. São 123 km que deram muita dor de cabeça ao senador, antes do desfecho positivo ora anunciado.

 

Situado no extremo norte, o estado de Roraima transmite a impressão de ser “esquecido” pelos homens públicos de nosso país, apesar de seu potencial econômico em termos turísticos, e de desenvolvimento se houver competente utilização de seu solo para a produção de alimentos.

O estado já chegou a figurar como polo exportador de arroz. Isso foi antes de o STF, com o então presidente, Ayres Britto, decidir pela demarcação de terras que causou mais problemas do que solução para os poucos indígenas supostamente beneficiados na homologação de uma reserva.

Expulsaram os arrozeiros e mergulharam na absoluta miséria os indígenas que lá trabalhavam, pois estes ficaram praticamente abandonados pelo poder público. De lá até agora, pouco se fez no sentido de melhorarem as condições, visto que a falta de energia elétrica impede a instalação de indústrias e encarece brutalmente as contas apresentadas.

Mecias e o deputado Jhonatan de Jesus assumiram, como objetivo principal, resolver a questão energética de Roraima, especialmente por estarem conscientes do empenho do presidente Jair Bolsonaro em integrar o estado ao SIN – Sistema Interligado Nacional. Uniu-se, então, o útil ao desejável: fato consolidado pela ação dos congressistas.

Todos da bancada roraimense somaram forças nesta caminhada. A decisão dos líderes indígenas, permitindo a construção do linhão, coroa trabalho conjunto que rendeu noites insones aos que têm lutado por encontrar saída. Os que vivem em Roraima sabem e sentem na pele os graves problemas causados pela falta de energia elétrica.

Durante a campanha eleitoral, Mecias de Jesus prometeu se empenhar além do limite para sanar o impasse que se arrasta desde tempo imemorial. Foram poucos os que acreditaram ser possível. “É apenas mais uma promessa de candidato”, diziam, “tudo é apagado, assim que as eleições se encerram”.

O resultado apresentado mostra que não foi apenas mais uma promessa. Foi muito além. A verdade é que Roraima tem muito a comemorar e, agora, deve contar os dias que faltam até a chegada do Linhão que irá redimir sofrimento acumulado. Mecias de Jesus será para sempre lembrado por tão valorosa conquista.

Comente
Deixe o seu comentário
  • Roraima e a emancipação

Tendências