O "JORGISMO/VIANISMO" SEMPRE FOI MAIOR QUE O "LULISMO" NO ACRE

 


Por Edinei Muniz

 

Quando foi eleito governador em 1998, Jorge Viana venceu o Alércio Dias com 57,70% dos votos válidos já no primeiro turno. Na mesma eleição, o ex-presidente Lula obteve apenas 30,9% dos votos válidos no primeiro turno no Acre.

 

Veio então a eleição de 2002, quando Jorge Viana foi reeleito com 63,58% dos votos. Na mesma eleição, Lula, apesar de ter sido eleito presidente naquele ano, obteve no estado apenas 46,81% dos votos válidos no primeiro turno.

 

Em 2006, Jorge Viana não disputou diretamente, mas figurou como principal apoiador de Binho Marques, que foi eleito em primeiro turno após obter 53,05% dos votos. Na mesma eleição, Lula foi reeleito presidente obtendo apenas 42,6% dos votos dos acreanos no primeiro turno, perdendo para Geraldo Alckmin, que obteve 51,7%.

 

Em 2010, Jorge Viana disputou vaga ao Senado Federal, obtendo 31,77% dos votos. Naquela mesma eleição, a ex-presidente Dilma, apoiada por Lula, obteve apenas 23,09% dos votos no primeiro turno no Acre.

 

Em 2014, Jorge Viana não disputou, mas figurou como principal apoiador do irmão, Tião Viana, que tentava a reeleição. Tião obteve 49,73% dos votos no primeiro turno. Dilma, apoiada por Lula, obteve apenas 27,9% dos votos no primeiro turno no Acre.

 

Veio, por fim, a eleição de 2018, onde Marcus Alexandre, apoiado por Jorge Viana, foi derrotado por Gladson no primeiro turno ao governo após obter apenas 34,5% dos votos.

 

Naquela mesma eleição, o candidato Fernando Haddad, apoiado por Lula, obteve apenas 18,9% dos votos dos acreanos no primeiro turno.

 

Os números mostram claramente que nunca na história política acreana o ex-senador Jorge Viana, ou seus apoiados, tiveram menos votos que Lula (ou dos apoiados por Lula) nas eleições locais. 

 

Nem mesmo no seu melhor momento no estado, no caso, em 2002, o candidato Lula chegou a romper a barreira dos 50% dos votos no primeiro turno. Seu melhor desempenho de primeiro turno no Acre foi em 2002, quando obteve 46,81% dos votos.

 

Trocando em miúdos, com o Bolsonarismo ainda muito forte no Acre, em cenário de polarização canina, conseguirá Jorge Viana obter mais votos que Lula no primeiro turno no Acre?

 

Se não, ou se ficarem no mesmo patamar ou nas proximidades, serão tais votos suficientes para eleger Jorge Viana senador ou colocá-lo num eventual segundo turno caso opte por disputar o governo?

 

Será Lula um forte apoiador do retorno de Jorge Viana ao poder em 2022 ou Jorge terá que seguir sendo maior que Lula no estado, conforme mostram os números?

 

Quem sou eu para traduzir o que esses números dizem. O que sei é que alguma coisa eles devem dizer.

 

Recomendo ao Jorge Viana que evite "lulificar" em excesso ou suas chances serão trituradas pela polarização em 2022.

 

Edinei Muniz

 

Postagem Anterior Próxima Postagem