CGU, PF e Receita Federal deflagram Operação Mineração de Ouro em Mato Grosso do Sul

 

Objetivo é apurar a possibilidade de envolvimento de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso do Sul em organização criminosa



A Controladoria-Geral da União (CGU) participa, nesta terça-feira 08, em Mato Grosso do Sul, da Operação Mineração de Ouro. O trabalho é realizado em parceria com a Polícia Federal (PF) e a Receita Federal do Brasil (RFB). O objetivo é apurar a possibilidade de envolvimento de conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-MS) em organização criminosa.

 

As investigações tiveram início com telefonemas interceptados durante a fase investigativa da Operação Lama Asfáltica, os quais foram encaminhados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou a instauração de inquérito para apurar a existência de envolvimento de conselheiros do Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul (TCE-MS) na organização criminosa investigada naquela operação.

 

As medidas visam a esclarecer a possibilidade de venda de decisões, enriquecimento ilícito, lavagem de dinheiro e contratação de funcionários “fantasmas”. O nome da Operação decorre de indícios de que a aquisição de direitos relacionados à mineração de ouro tenha sido utilizada para lavagem de dinheiro.


A Operação Mineração de Ouro consiste no cumprimento de 20 mandados de busca e apreensão nos municípios de Campo Grande (MS), Sidrolândia (MS) e Brasília (DF). O trabalho conta com a participação de 19 servidores da CGU, 102 policiais federais e 33 servidores da RFB.

 

Postagem Anterior Próxima Postagem