SEPA, OCB/AC e cooperativa Coopel discutem parcerias de fomento a cadeia produtiva do leite no estado

 


O presidente da Cooperativa de Agricultores e Pecuaristas da Regional do Baixo Acre – Coopel, Ezequiel Rodrigues recebeu na manhã desta quinta-feira, 6 de maio, o secretário de Estado de Produção e Agronegócio do Acre (SEPA), Nenê Junqueira, para debater parcerias de melhoramento na cadeia produtiva do leite.

 

Na ocasião também estavam presentes o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras no Acre – OCB/AC, Valdemiro Rocha, o representante do Senador Márcio Bittar, o assessor parlamentar Nonato Cruz, o diretor financeiro da cooperativa, Francisco Cruz e o diretor administrativo, Wilmar Vicenzi.

 

O encontro aconteceu na indústria da cooperativa, onde foram discutidas estratégias para alavancar a produção leiteira no estado e a manutenção de infraestrutura de ramais, que hoje é um dos principais problemas enfrentados pelos produtores.

 

O presidente da cooperativa falou sobre o importante apoio da SEPA e agradeceu ao setor por estar sempre presente no dia a dia de todos os produtores.

 

“A SEPA se colocou à disposição para aquilo que estiver ao seu alcance, em ajudar com os nossos trabalhos, que hoje realizamos em 8 municípios do Acre. Queremos agradecer a participação de todos, em especial ao presidente da OCB, que é um braço direito das cooperativas”, disse Rodrigues.

 

Para Nenê Junqueira, a sua visita tem como objetivo desenvolver um projeto que venha incentivar os antigos produtores de leite, para que voltem a produzir, assim podemos fortalecer e recuperar a economia de nosso estado.

 

“Nosso objetivo aqui é visitar todos os setores de laticínios e ouvir quais as principais dificuldades que o setor vem enfrentando, para que juntos possamos recuperar a cadeia produtiva do leite. Para que isso seja possível, é preciso fortalecer o produtor e a indústria, caso contrário, vamos continuar como estamos, o produtor produz, mas não tem para quem vender, não tem como escoar seus produtos. A indústria se moderniza, mas não tem a matéria prima, então, é preciso vermos um incentivo fiscal para oferecer a essas indústrias”, informou o secretário.

Postagem Anterior Próxima Postagem