Leo de Brito denuncia abandono e descaso na escola estadual Esperança do Povo no Seringal Cachoeira


 ”A maior marca da educação no atual governo é a corrupção”, disse o deputado.


 


O deputado federal Leo de Brito (PT-AC) usou a tribuna da Câmara nesta terça-feira, 4, para denunciar o descaso e o abandono em que se encontra a escola estadual Esperança do Povo no Seringal Cachoeira em Xapuri.

 

O parlamentar esteve no último final de semana no município onde cumpriu agendas na área urbana e rural.

 

A escola estadual Esperança do Povo atende mais de 200 alunos no ensino fundamental e médio e passou por reformas e ampliações nos governos de Binho Marques e Tião Viana.

 

Estrutura física comprometida

 

Durante a visita o deputado constatou que a estrutura física da escola está comprometida e oferece riscos para alunos e servidores.

 

“Estive na escola atendendo pedido dos moradores que relataram as péssimas condições estruturais da unidade escolar. A escola está abandonada, sem manutenção, os barrotes e as paredes estão caindo, o cupim está tomando de conta, situação precária que coloca em risco a segurança de alunos e servidores. Estou cobrando oficialmente providências do governo do Estado antes que aconteça o pior”, disse o deputado.

 

Marca de corrupção na educação

 

Em seu discurso, o parlamentar acreano pontuou as denuncias e operações feitas na Secretaria de Educação na atual gestão para apurar suposto esquema de corrupção. 

 

“Em três anos de gestão a maior marca da educação no governo Gladson Cameli é a corrupção, já foram feitas quatro operações pela Polícia Civil e Federal para apurar desvios na merenda escolar, superfaturamento na compra de computadores e cestas básicas, e agora mais recentemente o superfaturamento na aquisição de livros didáticos, o que levou a Assembleia Legislativa a instalar uma CPI para investigar essas e outras denuncias. Um absurdo! Vamos continuar fiscalizando e denunciando esse tipo de descaso”, reiterou o deputado.

 

Defesa de internet banda larga gratuita para alunos e professores

 

Leo de Brito questionou a aprovação do Projeto de Lei que garante o retorno às aulas presenciais durante a pandemia sem a vacinação para professores, ele também defendeu durante a sessão desta terça-feira, a derrubada do veto presidencial nº10, cujo PL 3477, aprovado pelos deputados em dezembro de 2010, que estabelecia um programa que garante internet banda larga gratuita para alunos e professores durante a pandemia, foi vetado integralmente pelo presidente Jair Bolsonaro.


“Estamos na luta para derrubar esse veto do presidente da República, alunos, professores e pais estão passando por muitas dificuldades nesse momento, espero a sensibilidade dos demais deputados com essa matéria tão importante para a garantia da educação”, finalizou Léo de Brito.





 



Postagem Anterior Próxima Postagem