Bolsonaro e Bittar negam existência de “orçamento paralelo” no governo

 


O presidente da República, Jair Bolsonaro senador Márcio Bittar, que foi relator do orçamento da União deste ano, negaram a existência de um “orçamento paralelo” no governo. Foi a primeira vez que eles se pronunciaram sobre o assunto.


Segundo reportagem da Folha de S. Paulo e amplamente divulgada pela oposição, o governo teria repassado cerca de R$ 3 bilhões do orçamento do Ministério do Desenvolvimento Regional para parlamentares da base do governo no Congresso.


Ainda de acordo com o jornal, o senador Márcio  Bittar teria distribuído o valor aos parlamentares antes das eleições da presidência do Senado e da Câmara para favorecimento da base.


"Como relator do orçamento e vice líder do governo, recebí demandas de todos os estados e procurei atender na medida do possível. È claro, que não vai agradar todo mundo.  Sempre vai ter pessoas que vai entender que usei o meu prestígio para mandar mais recurso para o meu estado em detrimento de estados maiores. Isso é da política. È da democracia” – disse em vídeo. “Não há orçamento paralelo e, essa tentativa de criminalizar o presidente da Republica, é um absurdo” – complementou.


O presidente Jair Bolsonaro se esquivou de assumir a responsabilidade pelo suposto orçamento paralelo e disse que “se a verba federal foi aplicada de forma irregular a culpa é dos gestores locais”. Há um grupo de parlamentares que defende a investigação do caso pelo Tribunal de Contas da União.

  

Postagem Anterior Próxima Postagem