PGR deu até sexta-feira para os governadores informarem o que fizeram com os hospitais de campanha

 


A Procuradoria-Geral da República (PGR) cobrou dos governadores de todos os estados e do Distrito Federal informações sobre a situação dos hospitais de campanha destinados ao tratamento de pacientes com o novo coronavírus. 

O pedido é feito em meio ao agravamento da pandemia, com o aumento do número de mortes em decorrência da doença e da superlotação nos hospitais da maioria das regiões do país, com a falta de leitos de unidades de tratamento intensivo para o atendimento de pacientes. 

O ofício é assinado pela subprocuradora-geral da República Lindôra Maria Araújo, que integra o Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia do Coronavírus da PGR. O órgão foi criado há exatamente um ano pelo procurador-geral da República, Augusto Aras, e atua de forma preventiva, extrajudicial e resolutiva na contenção da pandemia no âmbito do Ministério Público da União.

A PGR quer saber quantos e quais hospitais de campanha foram construídos nos estados, quais hospitais de campanha foram construídos e não entraram em funcionamento e a data de início do atendimento aos pacientes.

A subprocuradora quer que os governadores listem ainda os hospitais de campanha que atualmente estão em funcionamento em seus Estados e, em relação aos que foram eventualmente desativados, informem a data da desativação e o motivo do fechamento.

A PGR também quer saber a destinação dada aos insumos e equipamentos que faziam parte da estrutura de eventuais hospitais de campanha que tenham sido desativados nos estados
Postagem Anterior Próxima Postagem