Leo de Brito reafirma compromisso de lutar contra o fechamento de bancos públicos

 


O deputado federal Leo de Brito (PT-AC) participou nesta segunda-feira, 22, de reunião com a diretoria do Sindicato dos Bancários do Acre, ocasião em que assinou documento se comprometendo a lutar contra a privatização e o fechamento das agências do Banco do Brasil no Acre.

 

O governo federal anunciou recentemente um plano de reestruturação que prevê o fechamento de 361 unidades, entre agências, postos de atendimento e escritórios, e o desligamento de cinco mil funcionários diretos, sem contar os terceirizados.

 

No Acre, dos 22 municípios, apenas 14 contam com atendimento do Banco do Brasil, com essa reestruturação, serão fechadas duas agências e dois postos de atendimento em Cruzeiro do Sul e Rio Branco. Já os municípios de Mâncio Lima, Bujari, Assis Brasil, Feijó e Xapuri tiveram redução nas equipes de atendimento.

 

O presidente do Sindicato dos Bancários do Acre, Eudo Rafael, alerta que essa medida vai acarretar sérios prejuízos para a população, além da demissão de funcionários.

 

“O fechamento de agências ataca diretamente os direitos e a renda dos funcionários do banco, além disso, vai acarretar imensos prejuízos para a população, vai precarizar serviços, impactar diretamente na economia dos municípios, uma vez que vai acabar com o acesso a linhas de crédito para pequenos e médios empreendedores e também para produtores rurais, e ainda tem a preocupação com o aumento dos casos de Covid-19, sobretudo com superlotação nas agências”, disse.

 

Leo de Brito destacou a ação coordenada que vem acontecendo desde o governo de Michel Temer, intensificada por Bolsonaro, de sucateamento e desmonte das empresas e órgãos públicos.

 

“Esse fechamento das agências do Banco do Brasil representa um grande retrocesso, estamos firmes nesta cruzada, lutando contra as privatizações, o sucateamento e o desmonte das empresas e órgãos públicos que prestam importantes serviços a nossa população. Essa medida vai deixar centenas de pais e mães de famílias desempregados e ainda precarizar serviços. Os trabalhadores podem contar comigo e com o meu mandato, não vamos aceitar esse massacre aos trabalhadores”, afirmou Leo de Brito.

 

O parlamentar também se comprometeu a buscar junto ao Ministério da Saúde a inclusão da categoria de trabalhadores bancários na lista de prioridades para vacinação.

Postagem Anterior Próxima Postagem