*ATAQUE À GARIS, MARGARIDAS E ROÇADORES NÃO PODE “FICAR POR ISSO MESMO”.*

 


Não pode ser minimizada a gravidade da desastrada ação da Prefeitura de Rio Branco, com corresponsabilidade do Governo do Estado, pelo uso desproporcional de força contra garis, margaridas e roçadores que protestavam pacificamente em frente à Secretaria de Zeladoria do Município.

 

Objeto do protesto, o atraso de até dois meses do pagamento destes trabalhadores essenciais para a qualidade de vida na cidade e para a saúde da população, ainda mais quando temos um grave surto de dengue sobreposto à pandemia do novo coronavírus, é grave indicativo de incompetência gerencial e descompromisso público tanto da Prefeitura quanto do Estado.

 

O uso do gás de pimenta contra trabalhadores, que buscavam respostas aos atrasos de salários, demonstra o uso demasiado da força em detrimento às boas práticas de gestão para o caso: como a mediação e o diálogo. Faltou compaixão, sobrou repressão!


Quando cuidamos de Rio Branco, valorizamos os garis, margaridas e roçadores, aos quais expressamos aqui nossa solidariedade diante da violência, da humilhação e da desvalorização funcional que sofrem agora. Também entendemos que tão grave fato não pode “ficar por isso mesmo”.

 

Dentro da realidade do tempo de nossos mandatos, buscamos promover o trabalho conjunto da Prefeitura com o Governo, mas sempre para otimizar a capacidade de trabalho do Poder Público em favor das pessoas, nunca para esse tido “de parceria de força” contra os mais humildes.

 

Reafirmamos que a gravidade do feito pela Prefeitura de Rio Branco com corresponsabilidade do Governo do Estado não pode ser minimizada, cobrando denúncia e apuração pelas instituições competentes.

 

Rio Branco, Acre, 15 de março de 2021.

 

Jorge Viana (prefeito 1993/1996)

 

Marcus Alexandre (prefeito 2013/2018)

Postagem Anterior Próxima Postagem