Leo de Brito ingressa com representação no MPAC e MPF para que agentes públicos sejam investigados por não vacinar idosos

 


O deputado federal Leo de Brito (PT-AC) protocolou nesta segunda-feira, 8, no Ministério Público Estadual e no Ministério Público Federal, representação com pedido de instauração de inquérito civil para apurar as responsabilidades por omissão/dano coletivo a saúde pela lentidão na vacinação.

O Acre é o estado com menor percentual de vacinados contra a Covid-19, apenas 0,65% da população foi vacinada até agora.

O parlamentar acreano explica que o objetivo da ação civil pública é obrigar o estado e os municípios a vacinarem a população idosa acima de 60 anos, e também para que apresentem urgentemente o cronograma de imunização das pessoas pertencentes aos grupos de risco. “Precisamos de mais transparência e agilidade nesse processo. São muitas vidas perdidas e agora o colapso na saúde, a falta de leitos e de UTIs”, enfatizou Leo de Brito.

 

Postagem Anterior Próxima Postagem