Senado terá presidente de fora do Norte ou Nordeste pela 1ª vez em 20 anos

 


A disputa entre os senadores Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e Simone Tebet (MDB-MS) deve quebrar uma sequência de 20 anos na presidência do Senado. Será a primeira vez depois desse período que um congressista não eleito nas regiões Norte ou Nordeste assumirá a direção da Casa.

Desde 1985, foram 20 presidentes da Casa, todos homens. Desses, 17 eram do MDB e 17 de Estados do Norte ou Nordeste.


A disputa parece favorecer o lado do mineiro. Virtualmente, já conseguiu 48 votos de apoios declarados até agora. Para ser eleito é necessário ao menos 41 votos. Tebet começou sua campanha depois e angariou 29 senadores apoiando sua candidatura. Seria a 1ª mulher a presidir o Senado na história.


Ainda ontem, o MDB retirou o apoio à candidata.

Caso o cenário se confirme, o MDB ficará mais uma vez fora da presidência. Isso não era comum até 2019, quando o demista Davi Alcolumbre (AP) se aproveitou do racha emedebista e da diversidade de candidatos para se eleger.De todos os senadores eleitos para ocupar a presidência, desde 1985, só Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA) e Davi Alcolumbre (DEM-AP) foram os únicos sem ser da sigla.

Horário da votação

A eleição para a presidência do Senado será na próxima segunda-feira 1º, às 14h.

CORRIDA ELEITORAL

Com a campanha na rua há mais tempo que Tebet, Pacheco já angariou apoios de membros de 12 partidos e está próximo da vitória.

O voto, entretanto, é secreto, o que permite dissidências nas bancadas que já anunciaram apoios a um ou outro candidato. O PP por exemplo, que apoiou Pacheco, tem o senador Esperidião Amin (PP-SC) que declarou voto em Tebet.

Além do próprio MDB, que ainda tem 2 votos a serem conquistados pela senadora, o Podemos também não conseguiu entregar os seus 9 votos à Tebet. Romário (Podemos-RJ) e Marcos do Val (Podemos-ES) devem ir com Pacheco. Já o PSDB se dividiu e a maioria ficou ao lado do mineiro.

Postagem Anterior Próxima Postagem