Senado dos EUA mantém processo de impeachment de Trump



Em uma votação apertada (55-45), o Senado americano bloqueou nesta terça-feira (26) uma tentativa de considerar inconstitucional o processo de impeachment do ex-presidente Donald Trump, previsto para começar no dia 9

Apenas cinco republicanos foram contra a objeção apresentada pelo senador Rand Paul, do Kentucky, que defendeu o fim do processo, alegando que o "impeachment é para a remoção do cargo, e o acusado aqui já deixou o cargo".

O placar sinaliza que a tendência neste momento é que ele seja absolvido da acusação de incitar uma insurreição que culminou na invasão do Capitólio em dia 6 de janeiro -são necessários 67 votos (dois terços dos 100 senadores) para aprovar o impeachment.

Votaram pelo prosseguimento do julgamento os republicanos Lisa Murkowski, do Alasca -a primeira do partido a se posicionar a favor da renúncia de Trump enquanto ele ainda estava no cargo-, Susan Collins, do Maine, Mitt Romney, de Utah, Ben Sasse, do Nebraska, e Patrick Toomey, da Pensilvânia, que também foi a favor da renúncia.

O peso político de Trump para o futuro do partido, porém, não está claro. Ele teve 74 milhões de votos na eleição de novembro, um recorde para um candidato republicano, e mostrou ser capaz de convencer milhares de pessoas a seguir lutando por ele, mesmo após a derrota. 

Postagem Anterior Próxima Postagem