Prefeitura de Manaus decide não liberar escolas municipais para prova do Enem

 


A Prefeitura de Manaus decidiu que não vai liberar o uso de escolas municipais para a aplicação da prova do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem. O exame acontece nos dois próximos domingo, 17 e 24 de janeiro.

Ao todo, 38 escolas municipais da capital amazonense seriam usadas para realização do Enem, mas o governo desistiu, dada a grave situação da covid-19 no estado. Segundo o secretário de Educação, Pauderney Avelino, o município quer evitar aglomerações nas escolas.

Houve um pedido para adiamento da prova, mas a Justiça Federal em São Paulo negou a demanda para que o Enem seja aplicado em outras datas. No entanto, a decisão permite que cada município impeça a prova de acontecer, a depender a situação. Caso essa opção seja feita, o Inep, responsável pelo Enem, terá de reaplicar a prova.

A prefeitura de Manaus também pediu que o Enem seja adiado. Pauderney Avelino classificou a aplicação da prova como uma “temeridade”. “Hoje é dia 13. A prova será daqui a quatro dias e sabemos que a situação de Manaus em relação a pandemia não vai acalmar até lá. Abrir as escolas para o Enem representa aglomeração na frente e no interior delas. Enviamos as nossas razões ao Ministério Público e também sugerimos que o Enem seja adiado”, explicou o secretário.

Na última terça-feira, 12, Manaus registrou o maior número de enterros diários desde o início da pandemia, com 166 sepultamentos. Entre elas, 85 foram registradas como covid-19.

A prova no Enem tem 5,8 milhões de candidatos inscritos em todo o Brasil. Muitos alunos têm medo de fazer a prova e colocarem em risco a si mesmos e as pessoas com quem moram.

 

Postagem Anterior Próxima Postagem