Caso do Médico Vidente da UPA de CZS provoca polêmica e grande repercussão


 

No dia 04 de Dezembro, foi publicado no Portal de Notícias Direto do Planalto, Matéria de autoria desse Jornalista que vos fala, onde foi abordado assunto ora intitulado com o seguinte título: Em Cruzeiro do Sul no Acre, Médico Vidente da UPA, atende olhando somente na ficha do Paciente.

 

Fato este que teria ocorrido no dia 24 de Novembro de 2020, por volta dás 22:00 horas na Unidade de Saúde acima citada, onde segundo denúncia da SRA. IOLANDA LUSTOSA, suas irmãs VERA e ALINE, foram atendidas pelo Médico, DR. JOÃO PAULO MOREIRA DA COSTA (CRM. Nº 2149), sem qualquer tipo de exame físico e contato visual, somente olhando na ficha das pacientes em questão.

 

Após veiculação da Reportagem no PORTAL DE NOTICÍAS DIRETO DO PLANALTO, ocorreu muita polêmica e repercussão na Cidade de CZS sobre o assunto, com mais de 500 compartilhamentos e cerca de quase 1.000 comentários nas Redes Sociais, Fanpage, Face-book e grupos do WatsApp, onde um dos assuntos mais falado foi sobre o MÉDICO VIDENTE e também sobre o mal atendimento prestado aos usuários da UPA de Cruzeiro do Sul, que pela imensa quantidade de criticas expostas restou comprovado que é “comum ser destratado” na UPA de Cruzeiro do Sul e que a denúncia da SRA. IOLANDA LUSTOSA, fez com que várias pessoas viessem à público expor o descontentamento com a referido Órgão Público, onde não dá para se fechar os olhos diante de tanta reclamação, além do mais, “para um bom entendedor meia palavra basta”, ou melhor dizendo: com quase mil comentários criticando a forma de atendimento no local em questão, é mais que suficiente para que o Gerente Geral da referida Unidade de Saúde, SR. MACSON ROSAS, tome ás devidas providências cabíveis para que está lamentável situação mude, ou seja, QUE Á PESSOAS SEJAM TRATADAS COM CARINHO, RESPEITO E ATENÇÃO, afinal de contas não é demais lembrar, que quem paga o salários dos funcionários, incluindo é claro o “Gestor e o Médico Vidente” da UPA de CZS, são os usuários que procuram o local para atendimento, que assim sendo, são os PATRÕES de todos os que ali trabalham.

 

Em fiel observância e respeito, ao principio do JORNALISMO CRÍTICO, IMPARCIAL E APARTIDÁRIO, este Jornalista decidiu em  30 de Novembro, ligar para a “Porta Voz do Governo do Acre”, SRA. MIRLA MIRANDA, para relatar o fato ocorrido e comunicar que estaria enviando para a mesma “via email” a integra da denúncia ora recebida, onde no Dia 02 de Dezembro, ás 13:34, foi enviada  a seguinte resposta: 

 

-“ Bom dia Sr. Lafaete. A equipe de Assessoria da Sesacre (Fayde) já está entrando e contato com o Hospital Regional do Juruá para averiguar a denúncia. Ela entrará em contato com o Senhor. Obrigada, Estamos à disposição.”

 

Ocorre, que a fala acima escrita pela PORTA VOZ DO GOVERNO DO ACRE, ficou somente na teoria, pois o prazo estipulado por este Veiculo de Comunicação para o envio de uma NOTA DE ESCLARECIMENTO, era até o Dia 03 de Dezembro, ás 18:00 horas, ressaltando que somente após 05 dias depois, ou seja, “no Dia 07 de Dezembro, ás 13:23”, o SR. MACSON ROSAS, Gerente da UPA de CZS, perguntou à este Jornalista, via rede social (FACEBOOK), o seguinte: “Boa tarde caro Sr. Rodinei. Posso ter um espaço em seu jornal, para direito de resposta”?


Assim sendo, segue abaixo o DIREITO DE RESPOSTA, ora solicitado e enviado pela UPA DE CRUZEIRO DO SUL em (07-12-2020), através da Nota de Esclarecimento abaixo inserida, bem como em seguida a RESPOSTA DA DENUNCIANTE, em relação ao que foi dito pelo Gerente da referida Unidade de Saúde, no tocante ao fato ocorrido e ora denunciado:


NOTA DE ESCLARECIMENTO DA SESACRE:

 

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), por meio da UPA Vale do Juruá - Jaques Pereira Braga, esclarece a suposta denúncia de descaso no atendimento prestado:

 

1. Conforme prontuário, a enfermeira responsável pela triagem fez o primeiro atendimento das duas irmãs, Sra. Aline e Sra. Vera (citadas conforme postagem no Facebook da Sra. Iolanda Lustosa na data de 29/11/2020 e matéria no site Direto do Planalto, na data 04/12/2020), constatando suspeita de Covid-19, foram encaminhadas à área de isolamento para atendimento médico;

 

2. O médico plantonista, Dr. João Paulo Moreira da Costa, realizou atendimento médico, solicitou o exame de malária, prescreveu medicação, fez orientação e deu alta;

 

3. No final do atendimento, a denunciante solicitou renovação de atestado para a irmã, que foi negado pelo médico, pois o mesmo a orientou, procurar o posto Sentinela;

 

4. Conforme consta em Prontuário com anotação médica e de enfermagem

 

A direção está disponível para esclarecimentos.

 

Adm. Macson de Almeida Rosas - Gerente-geral

UPA Vale do Juruá - Jaques Pereira Braga

 

RESPOSTA DA DENUNCIANTE: Primeiro nesta nota de esclarecimento emitida pela UPA DE CRUZEIRO DO SUL, não existe verdade, mas como eu já sabia que seria assim, pois, aqui é uma terra sem lei na área da saúde. Como já falei, não são todos os médicos, mais a maioria nos humilham, desfaz das pessoas que necessitam de Atendimento,   como foi no nosso caso, e não só o nosso, como foi possível ver, nas centenas  de comentários na minha postagem anterior que eu fiz no dia 29 de Novembro e também na Matéria do Jornalista, RODINEI LAFAETE DO DIRETO DO PLANALTO.  Postam uma nota de esclarecimento e acaba ficando por isso mesmo, e as injustiças continuam; como é que pedi um atestado pra minha irmã, se o médico nem  atendeu minhas irmãs, e nem comigo falou, apenas  mandou a receita pela enfermeira do plantão,  e mandou agente vir embora. Depois que eu reclamei que isso era uma pouca vergonha  o que ele estava fazendo com minhas irmãs, e que eu nunca vi na minha vida  um médico nem ver as  pacientes e já mandar a receita, e que o atendente da recepção foi falar pra ele, aí ela mandou por minhas irmãs no soro,  e em seguida mandou perguntar o que elas estavam fazendo lá. Gente, quem vai a um hospital, é atrás de socorro e não passear; e depois do soro quem deu alta as minhas irmãs foi a enfermeira, pois ele nem se deu ao trabalho de ir onde elas estavam. É por isso que acontece esses tipos de injustiças e humilhações, pois, não tem punição e ninguém toma providências. Tudo que pedi foi providências, para que ninguém mais passe o que eu e minhas irmãs passamos , pois, somos pessoas de bem e seres humanos, e temos direitos, respeito e consideração, afinal, contribuímos também com nossos impostos . E ao invés de tentarem nos desmentir, deveriam ter vergonha da situação e tomarem providências. Ora pois, até onde sei os médicos fazem juramentos de salvar vidas e não humilhar e tentar adivinhar de longe o que o paciente está sentindo. Essa é a minha versão do que realmente aconteceu e que todos que me conhecem, bem como também ás mais de 500 pessoas que compartilharam a Matéria e ás mais de 1.000 pessoas que comentaram falando sobre como é a forma de atendimento na UPA de CZS, algumas confirmando que o MÉDICO VIDENTE, realmente tem o hábito de atender olhando somente na ficha do paciente, falam por si só, ou seja, QUEM ESTÁ REALMENTE DIZENDO A VERDADE.


Considerando a gravidade da denúncia em relação à UPA DE CZS, que originou a Matéria sobre o MÉDICO VIDENTE, bem como também os vários comentários dos usuários da referida Unidade de Saúde, à cerca do mau atendimento que estaria sendo prestado pela mesma, inclusive com uma denúncia de suposta “omissão de socorro”, esse Jornalista compromissado com sempre com a verdade, informou o acontecido através do envio da  “Reportagem” para a PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA DO ACRE,  que assim que tomou conhecimentos dos fatos, determinou a abertura de investigação para adoção dás medidas cabíveis, conforme se constata no comunicado enviado e abaixo inserido:     

 

COMUNICADO DE INSTAURAÇÃO DE INVESTIGAÇÃO POR PARTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ACRE:

 

AO SENHOR

RODINEI LAFAETE DE JESUS

PRESIDENTE DA ANDECON

 

Com os devidos cumprimentos, o gabinete da Procuradoria Geral de Justiça informa que, em atenção à Reportagem encaminhada, restou instaurada a  Notícia de Fato SAJ/MP n.º 01.2020.00002238-0, cujos autos foram remetidos à Promotoria de Justiça Cível de Cruzeiro do Sul, para conhecimento e adoção das providências pertinentes.

 

Por gentileza, solicito a confirmação de recebimento desta mensagem eletrônica.

 

Respeitosamente,

 

Raul Luiz de Souza Luz

Assistente Operacional

 

Assessoria Jurídica da Procuradoria Geral de Justiça

Ministério Público do Estado do Acre



 

Por fim, considerando todo o fato ocorrido na UPA DE CRUZEIRO DO SUL no Dia 24 de Novembro de 2020, que deu origem a Matéria ora intitulada: Em Cruzeiro do Sul no Acre, Médico Vidente da UPA, atende olhando somente na ficha do Paciente, não há como eu na condição de CIDADÃO e de JORNALISTA abrir mão do “sagrado direito constitucional” de expressar aqui a “MINHA OPINIÃO” sobre este lamentável caso acontecido na referida Unidade de Saúde, em razão da grande repercussão do acontecido, causou uma onda de quase MIL COMENTÁRIOS NAS REDES SOCIAIS, contendo várias “denúncias” dirigidas ao Órgão em questão.

 

1º)- Causa estranheza, o fato que na Nota de Esclarecimento enviada pela UPA DE CZS, o Gerente responsável pela mesma, se preocupou tão somente em querer desmentir a denúncia de mal atendimento da SRA. IOLANDA LUSTOSA, praticado pelo Médico, João Paulo Moreira da Costa, em relação ás suas irmãs, VERA e ALINE, se esquecendo de observar e considerar ás centenas de reclamações que sucedeu em conseqüência do fato ocorrido na referida Unidade de Saúde Pública;  

 

2º)- Deu a entender, que o referido comportamento do GESTOR DA UPA DE CZS, foi o de querer “negar o inegável” , se esquecendo o mesmo, que um dos princípios norteadores da “Administração Pública” previstos no artigo 37, da CONSTITUIÇÃO FEDERAL é justamente o “Princípio da Eficiência”, ou seja: que a “Administração Pública”, através de seus Agentes, busque sempre o bem comum, por meio do exercício de suas competências de forma imparcial, neutra, transparente, participativa, eficaz, sem burocracia e sempre buscando um serviço prestado com qualidade, carinho, respeito e atenção aos usuários, que são os PATRÕES de todo e qualquer AGENTE PÚBLICO, que são pagos pelo Cidadão Contribuinte para “Servir ao Público”;

 

3º)- No dia em que a ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, através de seus “Agentes Públicos”, conseguir entender que uma “crítica” pode ajudar tanto quanto um “elogio” estará dando um grande passo para entenderem de uma vez por todas, que os ÓRGÃOS PÚBLICOS, por si ou suas empresas, concessionárias, permissionárias ou sob qualquer outra forma de empreendimento, são obrigados a fornecer serviços adequados, eficientes, seguros, com qualidade e quanto aos essências, de forma contínua; descobrirá que é através do cometimento de ERROS, que chegamos aos ACERTOS;

 

4º)- Quanto ao fato, dás “más línguas” e de quem não tem conhecimento do direito, em ficar dizendo que  a denunciante SRA. IOLANDA LUSTOSA, não deveria ter provocado um “Repórter de São Paulo”,  para fazer a denúncia contra a UPA DE CZS, cumpre deixar claro, que não existe no  Brasil nenhuma “Lei Federal” dizendo que um JORNALISTA  só pode fazer Matérias ou Reportagens relacionados à sua jurisdição, ou seja, ao Estado onde reside, há não ser que o ACRE não pertença ao BRASIL e em sendo assim, teria uma Lei  proibindo a atuação da IMPRENSA de outro Estado na Região;

 

5º)- Por fim, soube-se também, que o MÉDICO VIDENTE, JOÃO PAULO MOREIRA DA COSTA, estaria descontente e revoltado com toda a situação envolvendo seu nome e que estaria pensando em “processar” ás partes envolvidas na questão, assim sendo, se faz permissivo inserir abaixo, o “Entendimento” do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL sobre o assunto, vejamos:

 

-“ Na avaliação de CELSO DE MELO, MINISTRO DO STF, a Liberdade de Imprensa é projeção da Liberdade de Manifestação do Pensamento e de Comunicação, e assim tem conteúdo abrangente, compreendendo dentre outras prerrogativas do JORNALISTA, o direito de informar, o direito de  buscar informação, o direito de opinar e o direito de criticar, portanto a  publicação de reportagem ou opinião com crítica dura e até impiedosa afasta o intuito de ofender, principalmente quando dirigida a figuras públicas e notórias”.

 

6º)- Por fim, deixo bem claro na presente expressão da MINHA OPINIÃO, que numa “democracia” uma Imprensa Verdadeira, não abrange somente ás opiniões inofensivas ou favoráveis, mas também aquelas que possam causar transtornos ou inquietações, deixando avisado à todos que o meu  compromisso é estar ao lado do Povo, expondo as trapaças dos Poderosos e a precariedade dos Serviços Públicos, principalmente na ARÉA DA SAÚDE PÚBLICA, através de um Jornalismo Critico, Imparcial e Apartidário!!!

POR, RODINEI LAFAETE

 


 

Postagem Anterior Próxima Postagem