ANAC entra na segunda fase do processo de cancelamentos dos cadastros dos aeródromos de Marechal Thamaturgo e Porto Walter


 

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) entrou na segunda fase do processo de cancelamento dos cadastros dos aeródromos privados de Marechal Thaumaturgo e Porto Walter. A primeira fase foi a interdição dos aeródromos que começou em março, autorizando apenas decolagens e pousos emergenciais. A decisão se deveu aos sérios problemas identificados e nada foi até agora pelo governo estadual, através do Deracre, para solucionar os problemas. O prazo foi de seis meses.


Isso significa que praticamente este ano inteiro os aeroportos de Marechal Thaumaturgo e Porto Walter trabalharam de forma clandestina. Segundo a Anac, a decisão foi comunicada ao Governo do Acre depois ter sido acionado pelo Ministério Público Estadual que mandou suspender o uso dos dois aeroportos.


O gerente de Aplicação e Segurança Operacional da Anac, Flávio Magalhães, afirmou que transcorridos os seis meses de prazo para que o Governo do Acre tomasse as providências, o processo de cancelamento dos cadastros dos aeródromos de Marechal Thaumaturgo e Porto Walter entraram na segunda fase. “Para reabrir os aeródromos para o tráfego aéreo se fará necessário uma nova regulamentação da agência” – alertou.


Se o cancelamento acontecer de fato, a população dos dois municípios ficará sem transporte aéreo até que situação se resolva. A deputada Perpetua Almeida (PCdoB-AC) esteve ontem na Anac e vai propor um termo de ajustamento de conduta na tentativa de evitar o pior. “A minha grande surpresa é que o Governo do Estado já está com essa informação de interdição, com possível cancelamento agora, e as providencias não foram tomadas” – disse a parlamentar

Postagem Anterior Próxima Postagem