Mulheres que mataram o menino Rhuan são condenadas a 129 anos de prisão

 


A Promotoria de Justiça do Tribunal do Júri de Samambaia (DF) obteve, na última quarta-feira  25,a condenação de Rosana Auri da Silva Cândido, mãe do menino Rhuan Maycon da Silva Castro, de 9 anos, e Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, sua companheira, , pelos crimes de homicídio qualificado, lesão corporal gravíssima, tortura, ocultação e destruição de cadáver e fraude processual. A mãe da criança foi condenada a 65 aos de prisão. A outra recebeu pena de 64 anos.


Durante o julgamento, Kácyla ficou em silêncio e assumiu a execução de todos os crimes, afirmando não haver nenhuma participação da companheira. Na 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia), as duas confessaram, com detalhes, o assassinato cometido em 31 de maio de 2019. As autoras estavam em prisão preventiva desde a descoberta do crime.



Os jurados acataram na íntegra a denúncia do Ministério Público e reconheceram que as rés premeditaram o assassinato. Elas planejaram como executariam e destruiriam o corpo da criança. Na noite do crime, a dupla esperou Rhuan dormir para cumprir o plano. 
Rosana, a mãe, desferiu o primeiro golpe no peito da criança, que acordou com o ataque. Kacyla segurou o menino para que Rosana desferisse os outros golpes. Na sequência, a mãe decepou a cabeça do filho ainda com vida.

* Com informações do MPDFT


Postagem Anterior Próxima Postagem