Vida volta à normalidade em Wuhan, onde a pandemia começou

 


A cidade chinesa de Wuhan, primeiro epicentro da Covid-19, renasceu. "A vida voltou a ser o que era antes. Todos nós que moramos em Wuhan nos sentimos bem", afirmou An An, residente na cidade, à Agência France-Presse .

 

Grandes festas em piscinas têm sido registradas e os parques de diversão, assim como os shoppings, estão lotados. Cenas bem diferentes do início do ano, quando Wuhan ficou fantasmagórica com toda a população confinada em suas casas.

 

Ao todo, a cidade de 11 milhões de habitantes acumulou 50.340 casos e 3.869 mortes – o último registro de infecção foi em maio.

 

Enquanto isso, os cinemas nos Estados Unidos podem voltar a fechar devido à falta de público. O filme Tenet , que se tornou símbolo da reabertura das salas, apresentou resultado interessante nas primeiras semanas, mas despencou em seguida.

Produzido por 200 milhões de dólares, o longa arrecadou em solo americano 41 milhões de dólares – e 280 milhões de dólares em todo o mundo. Antes da pandemia, o estúdio responsável esperava uma bilheteria acima de 600 milhões de dólares. Junto a isso, as exibidoras de cinema têm poucas opções para colocar em cartaz este ano.

Motivos suficientes para abrir somente aos fins de semana ou paralisar as atividades até que o cenário melhore.

Postagem Anterior Próxima Postagem