Três ministros anunciam saída do governo boliviano após divergências internas

 


(crédito: AFP PHOTO / BOLIVIAN PRESIDENCY)

Os ministros da Economia, do Desenvolvimento Produtivo e do Trabalho da Bolívia abandonaram nesta segunda-feira (28) o governo de transição do país, depois que o primeiro revelou profundas diferenças com outro colega de gabinete, a poucos meses do fim de seu mandato.


O titular de Economia, Oscar Ortiz, disse em coletiva de imprensa que não se demitiu voluntariamente. "Entendo que já decidiram (no governo) designar outra pessoa, por isso vim justamente hoje limpar meu escritório", declarou após apontar divergências com o ministro de Governo (Interior), Arturo Murillo.

Segundo Ortiz, o desentendimento com Murillo se deve à decisão da presidente de direita, Jeanine Áñez, de devolver semanas atrás as ações da empresa estatal de eletricidade ELFEC, da região de Cochabamba (centro), aos seus antigos sócios privados.

Pouco depois, o ministro do Trabalho, Oscar Mercado, e o do Desenvolvimento Produtivo, Abel Martinez, anunciaram nas redes sociais a renúncia do cargo. "Com a satisfação de dever cumprido, apresento minha renúncia" ao gabinete da presidente Áñez "a quem agradeço a oportunidade que me deu de servir ao meu país", escreveu Mercado no Twitter.

Após a saída dos ministros, a presidente Áñez nomeou seus substitutos. O empresário Branko Marinkovic (ex-titular de Planejamento) assume a pasta de Economia; Gonzalo Quiroga, fica com Planejamento; e Alvaro Tejerina, passa a comandar o Ministério do Trabalho. Ainda não foi definido quem ficará à frente do Desenvolvimento Produtivo.

 

Postagem Anterior Próxima Postagem