'Se Deus quiser, vamos derrubar', diz líder da bancada evangélica sobre veto de Bolsonaro

 


A bancada evangélica no Congresso se reunirá na tarde desta terça (15) para discutir o que fazer após o presidente Jair Bolsonaro vetar o perdão a dívidas de igrejas. Parlamentares acreditam que Bolsonaro deu um jeito de não se indispor com seu ministro da Economia, Paulo Guedes, contrário à anistia que poderia relevar passivos de igrejas com a União que superam R$ 1 bilhão.

Líder do grupo, o deputado Silas Câmara (Republicanos-AM) diz que, caso a bancada conclua que o melhor caminho é reverter a decisão presidencial no Congresso, não deve ter grandes dificuldades. "Se Deus quiser, vamos derrubar."

Não só Deus: são 194 apoiadores oficiais da frente e 130 deputados "frequentadores de fato de igrejas", além de 14 senadores, afirma. "Se cada um de nós conseguir um voto no seu estado, já foi o veto." Para a rejeição do veto é necessária a maioria absoluta dos votos de deputados e senadores, ou seja, 257 na Câmara e 41 no Senado.

Postagem Anterior Próxima Postagem