STF concede prisão domiciliar a Geddel Vieira Lima, ex-ministro de Lula e Temer


Foto: Gety Images
O Supremo Tribunal Federal (STF) autorizou que o ex-ministro Geddel Vieira Lima fosse para prisão domiciliar em razão de seu estado de saúde. A decisão foi tomada no fim da noite de terça-feira (14) pelo ministro Dias Toffoli.
No último dia 9, a defesa de Geddel informou que ele foi diagnosticado com o novo coronavirus. Depois, a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) da Bahia divulgou uma nota informando que o segundo exame deu negativo.
Toffoli afirmou que a defesa comprovou que o requerente é idoso e portador de comorbidades - fatores que o lançam ao grupo de risco e podem levá-lo ao óbito.
A decisão determina ainda que Geddel permaneça com monitoração eletrônica pelo período de duração da Recomendação nº 62 do CNJ - medidas preventivas à propagação da infecção pelo novo coronavírus no âmbito dos sistemas de justiça penal e socioeducativo - e pode ser renovada por mais 90 dias.
Geddel está preso desde 2017 depois da Polícia Federal ter encontrado R$ 51 milhões atribuídos ao ex-ministro de Lula e Temer num apartamento em Salvador.
Geddel começou sua vida carcerária na Papuda, em Brasília, e foi transferido para a Bahia em dezembro do ano passado.

Postagem Anterior Próxima Postagem