Sindicato dos Condutores de Ambulância do Estado do Acre – SINDCONAM

Nenhum comentário

O Sindicato dos Condutores de Ambulância do  Estado do Acre – SINDCONAM, juntamente com o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre – SINTESAC, vem a público *REPUDIAR* a postura desarrazoada, inoportuna, agressiva, negligente, antiética e desrespeitosa da MÉDICA intensivista da Unidade de Tratamento Intensivo – UTI do Hospital Santa Juliana – HSJ, *Márcia Vasconcelos*, com a equipe e paciente da Unidade de Suporte Avançado – USA COVID 19 do Serviço Móvel de Urgência – SAMU.

Na tarde do dia 13 de julho do corrente, por volta das  14h00min a equipe da USA – COVID 19, realizou a transferência de um paciente previamente regulado  da UPA do 2 Distrito para a UTI do Hospital Santa Juliana – HSJ, chegando na unidade de destino a médica Márcia Vasconcelos, recusou-se a receber o  paciente, relatando não saber do caso, afirmando que o mesmo não foi regulado, mesmo tendo sido previamente regulado e autorizado  a transferência pelo médico que a antecedeu. Não satisfeita com a situação a mesma manteve a equipe e o paciente em maca de transporte,  com oxigênio e baterias limitadas por diversos  minutos, até conseguisse contato com o  médico a tinha antecedido, expondo  o paciente a condicionantes que certamente poderiam ter agravado  seu quadro.  Com uma postura arrogante e imperiosa com desequilíbrio emocional não compatível para sua função, a mesma , questionou a conduta do médico regulador, agrediu a equipe com palavras de baixo  calão, chamando o condutor Ayache de *“condutorzinho”* o expulsando do setor.

Diante dos fatos apresentados as estas entidades sindicais, cientes dos direitos e deveres dos trabalhadores em saúde, de seus representados e dos  pacientes, nós *REPUDIAMOS* a postura da mesma, não só pela agressões a membros da equipe, mas pelo desrespeito a figura humana do paciente, ao tempo em que lamentamos ainda existirem profissionais cuja prepotência e arrogância mancham a imagem de uma profissão tão nobre e essencial a humanidade.

Solidarizamos-nos com o paciente e com os profissionais agredidos e cientes que não há  qualquer grau de subordinação entre a equipe multiprofissional e que não é mais tolerável nos tempos atuais, *atos e posturas arcaicas e ignóbeis, estaremos dispondo todo o suporte jurídico aos mesmos, param que possam proceder as devidas representações cíveis, éticas e administrativas*.

Rio Branco/AC 14 de julho de 2020.

*José Augusto Ayache*
Presidente SINDICONAM

*Jean Marcos Lunier*
Presidente em exercício SINTESAC


Nenhum comentário

Postar um comentário