Resistências de ministros e evangélicos devem barrar líder do governo no MEC


Apesar de sondagem para assumir o Ministério da Educação, o líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO), não deve ser convidado formalmente para o cargo pelo presidente Jair Bolsonaro em função de resistências ao seu nome entre ministros palacianos e membros da bancada evangélica. 
De acordo com fontes do Valor, os ministros da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e da Casa Civil, Walter Braga Netto, seriam contrários a eventual escolha de Vitor Hugo para o comando do MEC. A relação entre os auxiliares do Palácio do Planalto e o deputado goiano é marcada por divergências
Postagem Anterior Próxima Postagem