Chance de Moro chegar ao 2º turno em 2022, se candidato for, já movimenta a política brasileira.



Por Mariano Maciel

Favoritismo
Ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro “virou político” e tem muita chance de chegar ao segundo turno da eleição presidencial caso seja candidato em 2022. A avaliação é do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), feita em longa entrevista à Globonews. 
* “Virou político, né?”, disse Maia, esclarecendo que não considerava a mudança necessariamente ruim. “Acho bom que ele venha para o debate político, dá legitimidade ao que ele defende.
Como fica esquerda?
Caso se confirme Bolsonaro e Moro em um eventual segundo turno nas eleições de 2022 para a Presidência da República resta saber quem a esquerda vai apoiar. Não esqueçamos que a política é muito dinâmica, muito dinâmica.
Paz e amor
Ao decidir adotar a versão Bolsonaro paz e amor, o presidente Jair Bolsonaro teve mais uma conversa com o filho Carlos Bolsonaro para baixar o tom nas redes sociais, em especial em relação ao judiciário. A conversa aconteceu há poucas semanas, segundo integrantes do governo.
* Essa não é a primeira vez que o presidente pede para o filho evitar embates e críticas que podem respingar no governo e também no primogênito, Flávio Bolsonaro, alvo do inquérito das “rachadinhas”.
Cautela
Gato escaldado tem medo de água fria. Depois da saraivada de críticas que o senador Sérgio Petecão recebeu  nas redes sociais por ter votado a favor do projeto das fakes news, nenhum deputado da bancada do Acre se pronunciou sobre a proposta que, agora, tramita na Câmara.
* Uma coisa é certa pra eles: o texto aprovado no Senado precisa de mudanças profundas para não parecer “uma mordaça nas redes sociais”.
Correios
Fábio Faria bateu o martelo: vai manter o general Floriano Peixoto no comando dos Correios, assim como os três generais que lá estão na diretoria. Será Peixoto o encarregado de privatizar os Correios, algo que só acontecerá dentro de um ano e meio, se tudo der certo.
PGR x Lava Jato
A guerra da Procuradoria-Geral da República (PGR) com a força-tarefa da Lava Jato está só começando, com troca de críticas em público e de acusações nos bastidores. Vem aí uma devassa numa operação anticorrupção que ganhou fama mundo afora, mobilizou o Brasil e, com a prisão de um ex-presidente, ex-governadores, ex-presidentes da Câmara e os maiores empreiteiros do País, gerou a esperança de que a lei valeria para todos.
*  Segundo o procurador-geral, Augusto Aras, em conversa ontem com a coluna, “não se trata de linchar quem quer que seja, até porque isso seria cair nos mesmos vícios”.
Eleição atípica
O ineditismo de uma campanha eleitoral sob uma pandemia exigirá adaptações de candidatos e eleitores, que vão protagonizar um pleito municipal marcado por muitas incertezas, além das já habituais.
* O cenário atípico pode ter impacto desde a fase de propagandas até os resultados.
Frase
“Moro virou político, né?” – do presidente da Câmara, Rodrigo Maia.



Postagem Anterior Próxima Postagem