Senadora Mailza Gomes adere campanha Sinal Vermelho para ajudar mulheres vítimas de violência doméstica no AC

Nenhum comentário

Mulheres podem pedir ajuda em farmácias do Acre; campanha conta com cerca de 10 mil estabelecimentos cadastrados em todo país


A senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC), conhecida por sua bandeira de luta em defesa das mulheres e causas sociais, utilizou as redes sociais, na manhã de sexta-feira (26), para demonstrar apoio à Campanha Sinal Vermelho, que tem como objetivo combater a violência doméstica durante o período de isolamento social. 

Para Mailza, é dever de todos ajudar quem passa por essa situação que provoca transtornos a família e as vítimas. “A mulher que sofre violência tem medo e dificuldade de denunciar e nós queremos mudar isso, rompendo com esse ciclo. Ampliar a divulgação da campanha Sinal Vermelho é fundamental para que mais mulheres conheçam a iniciativa e possam denunciar seus agressores. Continuem contando com meu apoio”, disse a senadora Mailza.

Mailza explica que a vítima pode usar uma caneta ou um batom vermelho para marcar um 'X' na palma da mão e pedir ajuda em farmácias do Acre para o atendente ou farmacêutico. "O atendente devidamente capacitado chama a vítima de forma bem discreta em um canto para pegar o telefone ou endereço para tomar todas as providências e ligar para a polícia", pontuou a senadora.

A senadora reiterou ainda que em meio a pandemia do novo coronavírus, os casos de violência doméstica aumentaram durante o isolamento social e o objetivo da campanha é oferecer mais um canal de denúncia, apoiar essa causa é compactuar com a população e proporcionar mais segurança para todos.

As drogarias estarão com cartazes para indicar que participam da campanha e o funcionário que direcionar a denúncia, não será chamado para ir à delegacia.
Criada pela Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a iniciativa visa ampliar os canais de denúncia para atender a mulher vítima de violência doméstica e conta com vários parceiros.

No Acre, o Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), por meio da Coordenadoria Estadual das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) e da Corregedoria-Geral da Justiça (Coger), juntamente com a Associação dos Magistrados do Acre (Asmac) abraçaram a causa e estão promovendo a ação.


Nenhum comentário

Postar um comentário