"PORTO WALTER ESTÁ ABANDONADO POR PARTE DO JUDICIÁRIO QUE MUITO COBRA E POUCO AJUDA".

Nenhum comentário


Com a Delegacia da cidade fechada em maior parte do tempo, por falta de agentes da Polícia Civil, também por falta de posto de atendimento bancário da Caixa Econômica Federal e por poucos policiais no município de fronteira, prefeito Zezinho Barbary bate na porta do Exército e até do Ministério Público na busca por apoio judiciário para o enfrentamento a pandemia do COVID - 19.
O representante do executivo municipal só encontra reforço da Polícia Militar onde agradeceu em nome da população de Porto Walter que até agora não registrou caso positivo de Coronavírus.
"O Capitão Tenente Coronel Evandro (comandante do sexto BPM) nos garantiu mais três policiais que se somarão em 15 militares, e juntos aos 08 seguranças contrados por nossa administração, iremos fortalecer nossas barreiras de prevenção sanitária.
Porto Walter é o único munícipio do Vale do Juruá que não apresenta resultado positivo do Coronavírus.
Na luta por apoio do poder judiciário, o prefeito teve uma solicitação recusada, a do exército brasileiro que respondeu por ofício com um relato: "informo-vos que toda e qualquer solicitação de apoio feita a esta OM referente ao combate e controle da Pandemia do COVID - 19 deverá ser endereçada ao Governo do Estado".
"Também aguardamos um apoio do Ministério Público Federal que já sinazou em protocolo suas justificativas onde pedimos sua atuação em responsabilizar a Caixa Econômica Federal por sua falta de cumprimento aos beneficiários do Bolsa Família e o atendimento ao Auxílio Emergencial do Governo Federal" Falou o prefeito.
Por falta de um posto de atendimento da CAIXA, a população fica em busca de ir ao município de Cruzeiro do Sul e outros do Vale do Juruá que têm caixa, mas já registram casos de COVID - 19.
Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário

Postar um comentário