Pandemia aumenta busca por soluções digitais

Um comentário frequente nas redes sociais questiona o que mais acelerou a digitalização do mercado brasileiro e a resposta majoritária é a Covid-19. Medidas como o isolamento social em diversas cidades forçou muitos empresários a procurar por soluções digitais para manter o funcionamento de suas atividades.

Neste conceito, as empresas recorreram a orientações do Sebrae e outras instituições em busca de soluções para destacá-las nas pesquisas orgânicas do Google, divulgação por meio de aplicativos de comida, exposição nas redes sociais e até mesmo a promoção por meio de anúncios patrocinados.

No meio deste caminho estava a falha do processo, já que muitos deles jamais investiram no universo digital.

Algumas pesquisas que envolvem a criação de um site e a opções de divulgação online tiveram forte crescimento no Google e indicam a necessidade por tais soluções, por exemplo:
  • Como vender cursos online já subiu mais de 130%
  • Nome para loja virtual cresceu 120%
  • Criar site de vendas cresceu 90%
  • Como vender pela internet cresceu mais de 50%

Alguns nichos também apontam forte crescimento nas buscas, o que pode ser uma boa oportunidade de investimento no médio e longo prazo.

De acordo com o Google Trends, as pesquisas por sexshop subiram mais de 300% durante o isolamento e o público busca por:
  • Lingerie
  • Estimulante sexual feminino
  • Camisinhas
Apenas como exemplo, as pesquisas sobre como funciona a camisinha feminina subiram 1.650%. Isso prova que o mercado adulto é uma grande oportunidade de investimento.

Os números do mercado online impressionam
Apenas na primeira semana de abril, o comércio eletrônico já obteve alta de 18,5% nas vendas, de acordo com dados do e-Bit.

Sem poder sair de casa, o público mudou o comportamento. Além de ampliar o consumo de entretenimento e o boom das lives, inclusive com problema de monetização no YouTube e o recorde de novos assinantes da Netflix, o interesse de compra agora é outro.

Segundo levantamento do e-Bit, as vendas de eletrodoméstico subiram 21%, enquanto que acessórios de informática aumentaram 22,3%, casa e decoração subiram 23,5% e alimentos cresceram 21,7%.

Bens duráveis, turismo e artigos de luxo sofreram queda, mas diversos outros segmentos estão surfando firme na onda da digitalização.

Setores como educação e saúde estão se reinventando com o oferecimento de consultas online e também com escolas passando a ministrar aulas virtuais pela primeira vez para crianças e adolescentes.

Todas estas novidades criam uma nova realidade que deve ser mantida, mesmo após o fim do isolamento social.

Isso amplia as oportunidades para trabalhadores das áreas de tecnologia, já que mais empresários vão ofertar seus produtos e serviços na internet.
Postagem Anterior Próxima Postagem