Em videoconferência, Sindmed-AC e Semsa discutem prevenção contra a Covid-19



Em mais uma videoconferência para tratar de providências referentes à pandemia da Covid-19, os diretores do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) ouviram nesta quarta-feira (29) as explicações da Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco (Semsa) a respeito das cobranças que a entidade tem feito para que pacientes usem máscaras durante o atendimento, como forma de evitar a contaminação dos médicos e do próprio paciente.

Além dos diretores do Sindmed-AC, participaram da reunião o secretário Municipal de Saúde, Oteniel Almeida, e o diretor de Assistência da Saúde, Pablo Leite.

O presidente do Sindmed-AC, Murilo Batista, abriu a reunião e frisou para o secretário de Saúde Municipal que são necessárias algumas adequações na rede de atendimento e agradeceu pela parceria. 

“Temos estas questões do uso de máscaras que os doutores Guilherme e Jacqueline, que fizeram a visita, irão relatar melhor, mas de antemão quero agradecer a parceria. Quero agradecer a todos. Que bom que estamos juntos nesta luta”, diz.

A primeira-secretária do sindicato, Jacqueline Fecury, frisou a preocupação com a exposição dos profissionais médicos ao atenderem pessoas que buscam atendimento  sem fazer o uso da máscara e destacou a importância da Semsa em resolver a situação de iminente risco. 

“Estamos em constantes reuniões com a Secretaria de Saúde para melhorar as condições de trabalho dos nossos colegas, como também melhorar para toda a coletividade. Estamos visitando nossas unidades, semana passada estivemos no Cláudia Vitorino e nesta semana o Barral y Barral. A nossa principal preocupação no momento é o uso de máscaras nas unidades de saúde. Alguns colegas estão com N95 que foi ofertado a eles, mas o que nos foi colocado e que nos preocupou muito é a chegada de pessoas que vão ser atendidas e algumas sem máscaras. Temos esse decreto governamental que diz que as pessoas devem usar as máscaras, mas chegam pacientes sem e nos foi colocado que eles não podem mandar o paciente para casa sem atendimento, mas ao mesmo tempo tem sido um risco muito grande. Temos médicos contaminados e precisamos saber uma forma de resolver isso. Sabemos que não tem como o Estado oferecer máscaras para todo mundo, mas a gente gostaria de saber da prefeitura, da Secretaria de Saúde, se tem uma forma de fornecer estas máscaras para as pessoas que chegam sem elas para o atendimento”, frisou.

O vice-presidente da entidade, Guilherme Pulici, defendeu a realização de campanhas educativas para conscientizar a população. 

“Talvez uma campanha para educar nossa população, ajudar na conscientização. Eu entendo que algumas pessoas tenham dificuldades para comprar, mas a verdade é que a máscara protege tanto o profissional quanto o próprio paciente. Digamos que o uso da máscara é um ciclo virtuoso de proteção de ambos os lados”, frisou. 

O secretário de Saúde, Oteniel Almeida, frisou que a prefeitura se preparou para garantir prioritariamente a segurança dos profissionais de saúde e que as unidades estão oferecendo máscaras para todos os pacientes com casos respiratórios que chegam em busca de atendimento. Ele salientou ainda que no caso dos atendimentos feitos por agendamento os pacientes são orientados a irem a unidade de saúde já com máscara e que serão realizadas campanhas para que os paciente da chamada demanda espontânea se conscientizem que para serem atendidos precisam usar máscara de proteção individual. 

Estamos disponibilizando máscaras para todos os casos respiratórios. Para a próxima semana a prefeitura já está preparando uma campanha de divulgação sobre o uso obrigatório da máscaras nos atendimentos, teremos cartazes também nas unidades”, garantiu.

Oteniel aproveitou a oportunidade e parabenizou a direção do Sindmed-AC pela parceria junto a órgãos e entendidas  na luta contra a propagação do coronavírus.
--
Freud Antunes




Postagem Anterior Próxima Postagem