A montanha pariu um rato

Nenhum comentário


Por Mariano Maciel

Traque

Se do ponto de vista político as acusações de Sergio Moro angariavam pouca adesão, por causa de sua atuação na Lava Jato, o ex-ministro agora também é contestado do lado criminal.

* Ministros do STF, advogados, integrantes da Polícia Federal e da Procuradoria-Geral da República avaliam que o depoimento de Moro trouxe poucas novidades e carece de elementos para que, de fato, possa provar crimes de Jair Bolsonaro.

Tal e qual

 Os que não viram grandes novidades na oitiva de Moro a definiram com uma frase usada pelo ex-ministro: a montanha pariu um rato. O ex-juiz usou a expressão quando o The Intercept Brasil trouxe mensagens dele com procuradores da Lava Jato.

Congelamento

Contrariando decisão do Senado, a maioria dos deputados foi favorável à emenda de plenário que ampliou as categorias que ficarão fora do congelamento de salários previsto como contrapartida ao socorro da União aos estados e municípios.

* Com isso, foram beneficiados os servidores civis e militares envolvidos diretamente no combate à Covid 19, da Saúde, da Segurança Pública, da Assistência social, limpeza urbana, técnicos e peritos criminais, agentes sócio-educativos, policiais legislativos, professores e os que atuam na assistência social. 
Lockdown...
Após a região de São Luís (MA) decretar lockdown, medida que restringe a circulação de pessoas, bloqueia ruas e permite o funcionamento apenas de serviços essenciais para tentar frear a curva de contágio, o estado do Pará também adotou o modelo em dez cidades.

A decisão vale por uma semana e foi tomada após a taxa de isolamento do estado ficar abaixo dos 50% considerados o mínimo aceitável.

...nos estados

No Rio de Janeiro, o governador Wilson Witzel analisa a possibilidade de decretar o lockdown, mas só deve tomar uma decisão após a segunda-feira 11. Por enquanto, o estado de São Paulo ainda não pensa em adotar o modelo.

* Os próximos dias serão determinantes para saber se outras cidades terão o lockdown.

Agora não

Pelo menos até fevereiro de 2021, o Congresso não pautará processos de impeachment em andamento. Isso significa que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia não o fará.

* Até lá, o presidente Bolsonaro pode ficar tranqüilo.

Novo ministro

Sem alarde e pirotecnia, o ministro da Saúde, Nelson Teich, mostra a que veio. Ele deixou a muitos palacianos a impressão de que não se afastará das recomendações técnicas, apesar de estar alinhado o presidente Jair Bolsonaro.
Frases
“Entendi que a requisição de abertura desse inquérito que me aponta como possível responsável por calúnia e denunciação caluniosa foi intimidatória. Dito isso, quero afirmar que estou à disposição das autoridades” – Sérgio Moro, em entrevista à Globo.

“Ninguém está acima da Constituição” – do procurador-geral da República, Augusto Aras.






Nenhum comentário

Postar um comentário