Sindicalistas reconhecem esforço do governo, mas, apontam deficiências graves, exigem melhores condições de trabalho, teto da insalubridade e auxílio-saúde

Nenhum comentário


Na tarde desta quarta-feira, 15 de abril de 2020, diretores do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (SINTESAC), juntamente com outros sindicalistas da saúde se reuniram com o secretário de saúde, Alysson Bestene, durante a reunião, sindicalistas exigiram fornecimento de EPIs, em quantidade e qualidade suficiente, melhorias no fluxos, contratações de RH, pagamento do TETO da insalubridade e do auxílio-saúde.

Sindicalistas temem pela saúde de todos em especial dos profissionais que estão na ponta, e muitos já adoeceram, uns por falta de estrutura, outros por transmissão comunitária.

Nas visitas de inspeções, os sindicalistas estão constando que há falta de EPIs, fluxos, equipes específicas, deficiência grave de RH, e, caso não haja uma intervenção pontual, mais de 40% dos profissionais podem adoecer, e o sistema entrar em colapso.  

Os esforços do governo, por meio da SESACRE, é evidente, e reconhecido, algumas unidades, como o Hospital de referência em Brasiléia/AC, UPA do 2° Distrito e HUERB, na capital, já possuem fluxos bem definidos, graças ao esforço da SESACRE e dos trabalhadores, mas, ainda há, uma grande deficiência de EPI e RH, que a partir de agora tendem a acentuar-se, com o COVID 19, atingindo os trabalhadores.

O presidente do SINTESAC, Adailton Cruz, disse: “reconhecemos a situação grave em que passa o estado e nosso país, reconhecemos os esforços do governo, através do secretário de saúde no combate a esse mal que assola nossa humanidade, mas, temos um desafio imenso a ser superado. fluxos estão sendo criados, equipes específicas formadas, mas infelizmente a situação ainda pode se agravar. Nós estamos acompanhando a realidade dos nossos trabalhadores em todas as unidades e observamos que faltam profissionais, equipamentos de proteção individual, em especial as máscaras N95, aventais e protetor facial. Estamos trazendo todas as demandas para o secretário, para o governo e cobrando, para que você trabalhador, tenha segurança. Exija seus equipamentos, use de forma racional e trabalhemos juntos para que a possamos conseguir sair desta situação. O estado e a sociedade precisam nos apoiar, precisamos dispor de testes em massa para os trabalhadores, identificar quem está contaminado, e, além das medidas de controle, apoiá-los incondicionalmente, inclusive com estrutura”.

O secretário de saúde, ouviu todas as demandas, se comprometeu em acentuar ainda mais esforços, para garantir os EPIS, contratar RH, e ainda informou que nos próximos dias chegarão novos lotes de EPIs.
Quanto aos pedidos de teto da insalubridade e auxilio-saúde, o mesmo afirmou que o governo estuda os nossos pedidos e que em 10 dias irá se posicionar.

Assista ao vídeo e veja o que fala o presidente do Sintesac: https://youtu.be/raGMCUMvJ1s

Por: Enarde Fernandes - ASCOM/SINTESAC

Nenhum comentário

Postar um comentário