Vanda Milani vota pelo Revalida e em favor dos médicos formados no exterior

Nenhum comentário


Durante concorrida sessão conjunta do Congresso Nacional realizada na noite desta terça-feira 3, a deputada federal Vanda Milani (SD) votou contra o veto 54 do presidente Jair Bolsonaro à Lei nº 13.959/2019 que institui o Exame Nacional de Revalidação dos Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira(REVALIDA). A sessão que apurava os vetos presidenciais foi suspensa ficando a contagem dos votos para esta quarta-feira (4).
 Integrante da mobilização parlamentar em favor dos médicos brasileiros que estudam no exterior, a deputada salientou que  derrubada do veto assegura a todos os médicos brasileiros formados no exterior a aplicação do Revalida por instituição particular.
Mãe de 3 filhos médicos, Vanda Milani  disse saber  do esforço que o brasileiro tem para se formar no exterior, em países como Bolívia, Paraguai. “Sabemos do envolvimento dos pais, muitas vezes sem condições financeiras para manter o filho em uma escola de medicina, levando esses alunos a mesma dedicação. Por isso é mais que justo que eles possam fazer o Revalida tanto nas escolas públicas como privadas que tenham a faculdade de medicina no Brasil” disse .
Vanda Milani lembrou  que a decisão do parlamento é um marco regulatório “feito com amplo apoio dos deputados e dos senadores e atende um anseio da sociedade brasileira que sofre, muitas vezes, em regiões isoladas como a Amazônia por falta de um profissional médico” .

Sempre enfatizando seu voto contrário ao veto 54, a parlamentar acrescentou que o Revalida “é um coroamento do sonho de se tornar um profissional médico que, por circunstâncias alheias as suas vontades nossos jovens brasileiros tiveram de deixar seus lares e famílias no nosso país e, desprendidos, buscar no exterior a possibilidade de realização de um sonho maior: serem médicos, voltarem para sua terra natal, junto dos seus e poderem praticar legalmente o exercício da medicina para o qual se prepararam”.


Nenhum comentário

Postar um comentário