Diretoria do Sindicato dos Urbanitários visita trabalhadores do Depasa e constata irregularidades



Membros da Diretoria do Sindicato dos Urbanitários visitaram na última quinta, 16, e sexta-feira, 17, trabalhadores do Departamento Estadual de Pavimentação e Saneamento (Depasa) no Alto Acre (Assis Brasil, Brasileia, Epitaciolândia e Xapuri) e no município de Capixaba para conversar com os profissionais e se inteirar sobre as dificuldades que eles enfrentam no cotidiano profissional. A ação, que constatou irregularidades, também foi estendida ao quadro da Energisa.

Entre as anormalidades encontradas estão a falta de segurança nas Estações de Tratamento de Água (ETAs) das cidades, precariedade de infraestrutura como vazamentos nos locais, pisos rachados, portas danificadas, acessos de passagem quebrados e equipamentos expostos à ação das chuvas e sol em ambiente aberto sem proteção. Os trabalhadores relataram falta de segurança, principalmente no período noturno. Eles temem a prática de assaltos, atos de vandalismo e outros.

Diretor Executivo suplente do sindicato, Domingos Monte criticou a falta de investimentos do governo para conservar os equipamentos, prédios e reforçar a segurança das ETAs. “Enquanto o Executivo quer privatizar o saneamento básico alegando crise e falta de verba, o dinheiro público se perde com a deterioração de bombas d’água, que custaram caro aos cofres públicos, se estragando enquanto deveriam estar em uso. Enquanto isso, a população quer e não tem água”.

Em Xapuri, por exemplo, a casa de química, que conserva os produtos usados no tratamento, está totalmente destruída com telhas quebradas, paredes rachadas e ausência de laboratórios devido uma interdição da Vigilância Sanitária. Moradores do bairro Sibéria, com mais de 300 famílias, estão sem receber água devido ao rompimento de uma adutora que rompeu com a cheia repentina do Rio Acre e ainda não foi reposta pela falta dos equipamentos, que ainda não foram comprados.

“Apesar de colocarem uma mangueira de ligação para abastecer um carro pipa que distribui no bairro, a medida não é suficiente e as pessoas estão passando necessidade de água. Em todas as cidades toda a infraestrutura das estações está péssima”, reforçou Monte. Também participaram das fiscalizações os diretores sindicais Mauro Bezerra, Mauricélio França e Carlos Celso.

Agência Arawá de Comunicação


Postagem Anterior Próxima Postagem