Bolsonaro fará ao menos 3 indicações para o Judiciário em 2020

As mudanças são almejadas pelo presidente porque alterações, principalmente no STF (Supremo Tribunal Federal), podem representar vitórias em eventuais embates jurídicos envolvendo os interesses do governo.
Para o Supremo, neste ano, Bolsonaro terá de indicar 1 magistrado para o lugar do ministro Celso de Mello. O decano atingirá a idade limite para o cargo no dia 1º de novembro.
Respeitado entre seus pares, a história do ministro junto à Suprema Corte caminha junto ao período da redemocratização. O ministro foi nomeado em 30 de junho de 1989 pelo então presidente José Sarney. Tomou posse em 17 de agosto daquele ano, a menos de 2 meses da 1ª eleição direta pós-ditadura.
Postagem Anterior Próxima Postagem