Empreendedor se destaca entre 31 mil pessoas e representa o Acre na formação do RenovaBR



O RenovaBR é um movimento político apartidário que busca implantar boas práticas políticas em todo o Brasil. Para isso, formações continuadas são ofertadas anualmente para interessados dos 26 estados e Distrito Federal. Em 2019, se inscreveram 31 mil pessoas em todo o país e destas, apenas 1.400 mil se classificaram para a fase final, prevista para sábado, 4, em São Paulo. O empreendedor, advogado e administrador acreano, Jebert Willyans Nascimento, foi um dos destaques no estado e participa da próxima etapa do processo.

Há mais de 20 anos no empreendedorismo acreano, Jebert possui a maior empresa na área da terceirização no Acre, a JWC Multiserviços. O empreendimento já empregou mais de 10 mil pessoas no estado desde o início de sua atuação no mercado. Ele conta que decidiu integrar o movimento RenovaBR com o intuito de contribuir com o desenvolvimento econômico local, que classifica como extremamente dependente do Estado, a chamada “economia do contracheque”.

“As alternativas que temos no Acre são fazer parte do serviço público como servidor, prestar serviço no setor privado ou empreender. E foi justamente nessa última alternativa que me encaixei, porque meu perfil se adequou à prestação de serviços. Como nosso estado não oferta muitas oportunidades, decidi fazer parte do RenovaBR para contribuir com a economia do Acre e ajudar a mudar essa cultura do contracheque. As pessoas precisam de novos horizontes”, disse o novo aluno do curso nacional.

Em apenas um ano, a escola de formação do movimento saltou de 133 alunos formados para mais de mil neste ano, com representantes de mais de 400 cidades brasileiras. Eles nunca ocuparam cargos eletivos. O evento, que vai reunir os alunos formandos na Sala São Paulo, conta com a participação de ex-alunos eleitos do curso RenovaBR 2018, como os deputados federais Vinicius Poit e Tabata Amaral, e o senador Alessandro Vieira, além de várias outras personalidades.

Segundo Jebert, a administração pública das três esferas (União, Estado e Município) é essencial para o gerenciamento da economia local. Entretanto, ele critica a interferência excessiva, principalmente por parte do Estado do Acre, em questões onde a iniciativa privada deveria ter independência para poder alavancar a economia do estado. Ele destaca que ingerências do governo estadual, como a alta carga tributária, afeta toda a população.

“A oneração é alta para as empresas e como elas são obrigadas a se adaptar ao sistema, isso é repassado ao consumidor, a ponta inicial da economia. Independentemente do que fazemos ou com o que trabalhamos, creio que todos nós precisamos nos envolver na política para dar boas contribuições. E a ideia do Renova é justamente essa: capacitar pessoas que nunca tiveram envolvimento nessa área para contribuir. Foi isso que me levou a esse novo desafio”, finalizou.

Agência Arawá de Comunicação


Postagem Anterior Próxima Postagem