Da Saúde para campanha eleitoral

Nenhum comentário

Absurdo

Apesar da maior recessão da história do país, parlamentares ameaçam  meter a mão em dinheiro da saúde, educação e do saneamento básico  para usar na campanha eleitoral do ano que vem. O valor é maior que o destinado às eleições de 2018.

* A farra, que pode deixar pacientes sem remédios da farmácia popular, é multipartidária: tem o apoio do PSL de direita e do esquerdista PT.  Novo, PSol e o Cidadania são contra; mas, juntos, não têm força para impedir a votação em plenário.

Trâmite

O montante ainda será submetido à votação no relatório final da Comissão Mista de Orçamento e depois seguirá para o plenário no próximo dia 17. Como as críticas pipocam de todos os lados, resta saber quem são os parlamentares que vão botar “a cara a tapa”.

Lagosta e vinho

TCU libera a compra de lagosta e vinho pelo Supremo Tribunal Federal em licitações realizadas pela Corte, com ressalvas. Só deve ser servido lagosta e vinho quando houver ao menos “duas altas autoridades” presentes no evento do STF.

* O TCU rejeitou ação do MP que considerava as iguarias incompatíveis com a realidade no prato da maior parte da população brasileira.

Ranking político

Às vésperas do recesso parlamentar, é comum a divulgação do ranking político, ou seja, a relação daqueles que mais se destacaram durante o período legislativo.

* Nos últimos dias todo mundo no parlamento está de olho nos sites que divulgam a posição de cada deputado e senador. As acreanas Mailza Gomes está em alta no Senado e Mara Rocha, na Câmara

Cachimbo da paz I

Rodrigo Maia embarca nesta quarta-feira para a Europa, onde terá uma série de compromissos como representantes de organismos internacionais. Segundo interlocutores de Maia, a intenção é estreitar laços com líderes mundiais ignorados ou atacados pelo presidente Jair Bolsonaro.

* Nesta semana, Maia desembarca em Genebra, na Suíça, onde encontrará representantes da Organização Mundial do Comércio (OMC) e a ex-presidente do Chile Michelle Bachelet, hoje comissária da Organização das Nações Unidas (ONU) para direitos humanos.

Cachimbo da paz II

Desde a campanha eleitoral, Bolsonaro ataca a atuação de organismos internacionais. Na visão do presidente da República, essas organizações são orientadas por ideologia de esquerda e desempenham um papel fundamental para o avanço do chamado "globalismo".

* Aliados do presidente da Câmara consideram que a posição "ideológica" de Bolsonaro prejudica o país. Por isso, avaliam que o esforço de Maia é uma tentativa de "limpar a barra" do Brasil.

De olho na Oi... e no Lulinha

Polícia Federal (PF) está de olho na Oi. A PF e o MPF investigam pagamentos suspeitos de R$ 132 milhões da Oi para empresas do filho do ex-presidente Lula, Fabio Luis Lula da Silva, o Lulinha. A 69ª fase da Operação Lava-Jato e foi batizada de "Mapa da Mina", um desdobramento da 24ª fase, que levou o ex-presidente Lula para depoimento.

* De acordo com o Ministério Público Federal, tais pagamentos foram realizados sem justificativa econômica plausível enquanto o grupo Oi/Telemar foi beneficiado por diversos atos praticados pelo Governo Federal.

Frase

“Brasil e Argentina têm que se auxiliar mutuamente” – do vice-presidente da República, Hamilton Mourão.


Nenhum comentário

Postar um comentário