Prisão em flagrante e Prisão Preventiva: qual a diferença?

Nenhum comentário

Assuntos criminais podem causar muitas dúvidas nas pessoas que não exercem profissões ligadas ao Direito, uma vez que existem muitos termos em nossa legislação e muitos deles são incrivelmente parecidos, como é o caso da prisão em flagrante e da prisão preventiva.
É de suma importância que você entenda que, independente da diferença, a presença de um advogado te acompanhando e, que seja especialista na área criminal, é crucial para que os seus direitos e deveres justos sejam garantidos.
A prisão em flagrante é aquela prisão que é decretada quando ocorre o flagrante do delito. O Código Processual Penal considera que ocorreu o flagrante quando:
      A pessoa está cometendo a infração penal;
      A pessoa acabou de cometê-la;
      A pessoa é perseguida após a situação, fazendo presumir-se que ela é autora da infração;
      A pessoa é encontrada após o ato com objetos que façam presumir que ela é autora da infração.
Por fim, qualquer pessoa pode decretar a prisão em flagrante de um indivíduo que cometeu um delito ou contravenção penal e o indivíduo não pode ficar preso por mais de 24 horas.
A prisão preventiva, por sua vez, só pode ser decretada com uma ordem judicial, através do Ministério Público, assistente ou representante da autoridade policial, e acontece tanto durante as investigações quanto durante a ação penal. Ela pode ser decretada nos seguintes casos:
      Violência doméstica ou familiar;
      Quando a pessoa já houver sido condenada por algum outro crime doloso cuja pena seja superior a quatro anos;
      Quando há dúvidas sobre a identidade civil da pessoa acusada, que não fornece explicações suficientes para esclarecer as dúvidas.
Além disso, a pessoa não têm um prazo certo para cumprimento, de acordo os requisitos dos Art. 312 e 313, porém, devem ser seguidos os seguintes pontos:
      Garantia da ordem pública e econômica;
      Evitar que a pessoa atrapalhe o processo penal;
      Garantir que a lei penal será cumprida.

Desse modo, podemos dizer que a prisão em flagrante ocorre durante ou logo após o crime e não pode durar mais que 24 horas, enquanto a prisão preventiva ocorre durante a investigação ou o processo penal.






Nenhum comentário

Postar um comentário