Governo disponibiliza R$ 2,5 bilhões para financiar campanhas de candidatos em 2020

Nenhum comentário

Fundo partidário I  
O governo destina no orçamento de 2020 nada mais, nada manos que 2 bilhões e meio para as próximas eleições municipais. Em relação ao pleito de 2018, o aumento será de 48%.  Alvo de críticas, o presidente Bolsonaro disse  que apenas seguiu determinação do TSE.
* A LDO, que ainda não foi votado pelo Congresso, no entanto, propõe um valor maior para o fundo partidário: cerca de 3 bilhões e meio. Esse montante foi criticado por parlamentares e nas redes sociais e pode acabar fora do texto.
Fundo partidário II
Na contramão dos cortes orçamentários, o governo federal destina esse montante para financiar campanhas de candidatos a prefeituras e câmaras municipais nas eleições do ano que vem. As informações constam do projeto de lei orçamentária (PLOA) enviado ao Congresso na última sexta-feira.
* Apesar dos pesares, a previsão do Executivo ainda é bastante menor que a sugerida por parlamentares.
Lava Jato  
Nem todos que foram condenados pela Lava Jato terão a mesma benesse  de Aldemir Bendine, o ex-presidente do Banco do Brasil que teve a condenação anulada pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal. Bendine pedira para ser ouvido depois dos delatores na primeira instância, e o então juiz Sérgio Moro negou.
* Quem guardou esse recurso para pedir apenas ao STF, pode perder as esperanças.

À sombra do fumacê

E meio à fumaça, decorrente das queimadas que criou uma nuvem densa de tensão por todo o país, a bancada ruralista da Câmara dos Deputados aproveitou o embaçamento da opinião pública e, aprovou, sem estardalhaço, a exploração mineral e o desenvolvimento de agropecuária em terras indígenas – redução dos territórios demarcados.
* Mais uma ação que contraria a Constituição Federal de 1988 e que vai incitar a ira dos ambientalistas, antropólogos e outras categorias contra o Congresso e, bem provavelmente, contra o Governo Federal.
PL dos militares
A inclusão dos policiais militares e bombeiros na reforma da Previdência das Forças Armadas ainda não está garantida. O assunto segue nas mãos dos parlamentares, de acordo com o secretário especial de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, em audiência pública na Comissão Especial, que discute o projeto de lei enviado pelo governo em março com as novas regras.
Bordado oficial   
O presidente Jair Bolsonaro usa na lapela do seu paletó um diminutivo e ínfimo bordado da Bandeira Nacional. O bordado foi criação do seu alfaiate. Presidentes de outros países usam botton-broche das suas respectivas bandeiras representativas, bem perceptíveis, de fácil visibilidade e identificação.
Inadequado
O instituto Datafolha aponta que o comportamento considerado inadequado para o cargo do presidente Jair Bolsonaro e a radicalização do discurso dele estão entre os principais motivos para a queda de sua popularidade.
*  Pesquisa do instituto publicada no início da semana aponta que a reprovação do presidente aumentou de 33% para 38% em pouco menos de dois meses,  e a rejeição à sua gestão nos oito primeiros meses supera os índices de seus antecessores Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.
Frase
"Já mandei meu livro [Renda Básica de Cidadania, a Resposta Dada Pelo Vento] para Jair Bolsonaro para mostrar que muito melhor que estar distribuindo armas por aí é garantir a sobrevivência de todos" – do ex-senador Eduardo Suplicy em seu discurso no evento de instalação do grupo de oposição ao presidente.

Em tempo


Um erro de cálculo do governo na elaboração do Orçamento de 2020 aumentou o fundo eleitoral no ano que vem em R$ 671 milhões. O valor divulgado  era de R$ 2,5 bilhões, mas foi corrigido nesta terça-feira. O correto é R$ 1,87 bilhão. Líderes partidários tentam agora acionar um plano B para inserir um aumento em uma reforma partidária analisada pela Câmara.

Nenhum comentário

Postar um comentário