Anulação de condenações da Lava Jato só para casos futuros

Nenhum comentário


Só em casos futuros

Embora tenha atingido uma maioria de sete dos 11 ministros do STF , o entendimento que pode anular condenações da Lava-Jato ainda terá o alcance delimitado na próxima semana, quando os ministros prosseguirem a discussão sobre quais casos estarão sujeitos à tese vencedora na quarta-feira que vem. Entre as possibilidades, a sugestão, do ministro Barroso, de que a regra seja aplicada apenas em casos futuros.

* Apesar de a maioria dos ministros já ter se manifestado favoráveis á tese de que delatados precisam se manifestar por último, o Supremo ainda não anunciou oficialmente o resultado. Embora não tenha efeito vinculante, a nova jurisprudência pode orientar decisões de juízes pelo país.

Planeta terra

Passado o barulho e, porque não dizer, toda a histeria, dentro e fora do Brasil, com relação às queimadas, e consequentemente á devastação da Amazônia, parece que tudo voltou à normalidade, em tão pouco tempo. As bolas da vez são o Rock in Rio e o Prêmio Nobel para o cacique Raoni. Não se fala em reflorestamento, proteção dos rios, lagos e nascentes e tratamento de esgotos.

Ninguém se preocupa com a poluição do rio Tietê que contrasta com a riqueza do maior estado brasileiro: São Paulo. Em Caldas Novas, cidade turística do estado de Goiás, um esgoto a céu aberto recebe sujeira das casas e dos clubes que hospedam centenas de turistas nos finais de semana. Em Rio Branco, no Acre, o meu estado, temos o canal da maternidade que despeja sujeira a toda hora no rio Acre que agoniza aos poucos.

O mar é outro contêiner de lixo. As palafitas do Pará e do Amazonas convivem com a sujeira à beira dos manguezais, sem tratamento de esgoto. Tudo bem, defender a Amazônia é uma causa nobre porque a floresta nos fornece o oxigênio, mas seria bom se todos se conscientizassem em proteger o planeta porque, afinal de contas, habitamos nele e vamos deixa-lo para as  nossas futuras gerações.   

CPI esvaziada

Embora a caixa-preta de irregularidades no BNDES seja prioridade do presidente Bolsonaro, o assunto tem sido pouco debatido na CPI que investiga o tema na Câmara dos Deputados. Até a mídia tem dado pouca importância.
O problema é que muitos empresários chamados para prestar esclarecimentos na Casa foram beneficiados por decisões do STF, que desobriga a turma investigada de comparecer à comissão.

PT na mira

O assunto tem especial atenção do governo federal porque, dependendo do resultado das investigações, a CPI fortalecerá os ataques do presidente ao PT. A expectativa de Bolsonaro é encontrar novas irregularidades cometidas nos 13 anos do governo petista.

* Isso pode atrapalhar, e muito, as eleições municipais que se aproximam. Sem prefeituras para pressionar deputados e senadores, os companheiros ficarão esquecidos em disputas nacionais.

Noite de autógrafos

Depois do lançamento e sessão de autógrafos do livro “Uma vida dedicada ao Acre”, no município de Tarauacá (terra natal do autor) e na capital Rio Branco, o ex-senador Nabor Junior estuda uma nova data para lançar sua obra autobiográfica em Brasília.

* O evento estava confirmado para a semana passada (25 de setembro), mas por conta da morte do irmão de Nabor, o lançamento do livro na capital federal foi transferido para uma data a ser confirmada. A bancada do Acre estará presente.

Frase

“O caso tem risco de anular o esforço que se vem fazendo até aqui para enfrentar a corrupção, que não é fruto de pequenas fraquezas humanas, mas de mecanismos profissionais de arrecadação, desvio e distribuição de dinheiro público” – Luís Roberto Barroso, ministro do STF


Nenhum comentário

Postar um comentário