Vice-governador Rocha se reúne com Bolsonaro e pede ajuda do Governo Federal



Em reunião dos governadores da Amazônia Legal com o presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto, nesta terça-feira, 27, o vice-governador do Acre, Major Wherles Rocha, reafirmou a posição do Estado do Acre em promover um desenvolvimento sustentável e o combate aos crimes ambientais, mas com apoio do Governo Federal.

Rocha, o primeiro a falar pelos Estados, disse que ao contrário do que se está difundindo nos meios de comunicação, as queimadas acontecem todos os anos e que a falta de recursos inviabiliza uma maior atuação por parte do governo. “Os estados da Amazônia sofrem o mesmo problema: a falta de recursos para que o controle seja mais efetivo e as limitações de ordem ambiental também fazem com que o estado tenha um poder de resposta menor do que o pretendido” esclareceu o vice-governador.

O vice-governador Rocha também enfatizou aos presentes, sobre as condições ambientais do Acre, propícias, segundo estudos feitos por especialistas, para que aconteçam queimadas: Mais de 30 graus de temperatura; 30 dias sem chuva; umidade relativa do ar inferior a 30 por cento e ventos superiores a 30 km/h.
No Acre, explicou Rocha, dos 100 % de seu território, somente 14 % é considerada área aberta, entre urbana e rural. Dos 86 % restantes, 47 % são unidades de conservação. “Nessa área não podemos fazer nada de atividade humana, por restrições”, frisou Rocha a Bolsonaro.

O Presidente Jair Bolsonaro se disse satisfeito com o pensamento comum de união dos estados da Amazônia com o Governo Federal, afirmando que o direcionamento de todas as atividades a serem desenvolvidas tem que ser em comum acordo e com um mesmo direcionamento.

 


Postagem Anterior Próxima Postagem