Representantes dos policiais de todo o país se reúnem com Rodrigo Maia na véspera da paralisação nacional da categoria

Nenhum comentário


Dirigentes da União dos Policiais do Brasil (UPB), que representam 24 entidades sindicais de policiais civis estaduais e federais, estiveram na manhã de segunda-feira, 24, com o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para discutir a situação dos policiais de regime jurídico civil na Reforma da Previdência (PEC 06/19).

De acordo com a proposta original do governo: os policiais civis, agentes penitenciários e socioeducativos, entre outras categorias, só poderão se aposentar a partir dos 55 anos, enquanto os policiais militares e bombeiros terão o mesmo tratamento dado aos integrantes das Forças Armadas, cujos benefícios previdenciários não foram alterados.

Durante a reunião, Maia se comprometeu a analisar todos os pontos apresentados pelos representantes dos policiais e avaliar a viabilidade deles na PEC. Essa é mais uma frente de articulação das entidades que integram a União dos Policiais do Brasil (UPB).

Paralisação Nacional dia 25 de junho

Nesta terça-feira, 25, policiais de todo país, entre federais, estaduais, guardas municipais, dentre outras categorias farão uma paralisação de 24 horas contra a falta de isonomia da categoria com os policiais militares, quanto à concessão de aposentadoria.

Na região Norte cinco estados aderiram ao protesto: Acre, Amapá, Amazonas, Pará e Rondônia.

Em Rio Branco (AC), os policiais civis estarão concentrados em frente à Assembleia Legislativa, a partir das 8 horas da manhã.

Na capital do Amapá (AP), o ato público será na Praça da Bandeira.

Em Manaus (AM), os policiais estarão reunidos em frente à Delegacia Geral, a partir das 9 horas da manhã.

Já em Porto Velho (RO), a mobilização acontece em frente à Fundação FHEMERON, localizada na avenida Governador Jorge Teixeira, nº 3766, bairro Industrial.

Assessoria de Imprensa Fepolnorte

Nenhum comentário

Postar um comentário