Após morte de menino em Samambaia, pai busca filha que morava com suspeitas

Nenhum comentário
Foto: Alexandre de Paula/CB/DA press 

Em busca da filha há 5 anos, o pai da menina de 8 anos que morava com o casal acusado de matar Rhuan Maycon da Silva Castro, 9 anos, chegou ao Distrito Federal neste domingo (2/6), para buscar a garota. A mãe dela, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, 28, fugiu do Acre com a criança em 2014, junto com Rosana Auri da Silva Candido, 27, mãe de Rhuan. Nessa sexta-feira (31/5), as mulheres esquartejaram, degolaram e queimaram o corpo do menino. A informação foi divulgada neste domingo pelo Correio Braziliense.

O homem desembarcou no Aeroporto Internacional de Brasília por volta das 8h30. Em seguida, foi à 26ª Delegacia de Polícia (Samambaia Norte) conversar com o delegado à frente do caso. Em seguida, seguiu para o abrigo onde a criança foi levada após o crime. Ainda abalado, ele não quis conceder entrevistas. 

De acordo com o Conselho Tutelar, a garota vivia com o casal, em Samambaia, e estaria dormindo no momento do assassinato de Rhuan. No entanto, ela passará por acompanhamentos psicológicos e será assistida pelo órgão quando voltar ao Acre, com o pai.  

Ainda segundo o CB, no dia do crime, na delegacia, a garota teria feito um desenho de um menino com os órgãos expostos. O Conselho Tutelar ainda vai apurar se ela presenciou a cena. A menina tinha sinais de maus tratos, como pés ressecados e alguns cortes na cabeça. Os investigadores não descartam a possibilidade de que o casal iria matá-la.

Por Walder Galvão 


Nenhum comentário

Postar um comentário